domingo, 30 de outubro de 2011

AVALIAÇÃO FÍSICA E CORRIDA

Boa noite a todos !



Um bom rendimento em qualquer atividade física depende de uma série de fatores, sendo alguns qualitativos e complicados de mensurar, outros quantitativos e facilmente avaliados.

Seguem alguns exemplos:

Fatores qualitativos:

- motivação
- estresse
- determinação
- ansiedade

Fatores quantitativos

- VO2 máximo
- Percentual de gordura
- Velocidade máxima
- Flexibilidade

No treinamento esportivo, quanto maior o nível do atleta, mais importante são as avaliações quantitativas. Corredores como Marilson dos Santos se submetem a testes físicos semanalmente, dependendo do período do ano em que se encontra.

Por outro lado, atletas amadores , têm os fatores qualitativos como às maiores influências no seu treinamento.  Mais importante do que o percentual de gordura ou o VO2 máx. é a motivação e a determinação de se manter treinamento mesmo com os compromissos profissionais e familiares.

Mas então porque fazemos avaliações de aptidão física em nossos atletas!?

Mesmo não sendo corredores profissionais, nós treinadores precisamos de informações numéricas básicas, não apenas para prescrever o treinamento como para registros e futuras comparações.

Os números indicam claramente a atual condição física, se houve evolução e qual a proporção da melhora.

Para que todos entendam os fatores quantitativos que avaliamos , abaixo segue uma breve explicação:

VO2 máx – Quantidade máxima de oxigênio que seu organismo consegue retirar da atmosfera, levar até os músculos e utilizar na produção de energia. Valores acima de 40 indicam uma boa capacidade ventilatória do atleta.

Percentual de gordura – É a porcentagem de gordura presente no seu peso corporal.  Se o individuo pesa 100kg e possui um percentual de gordura de 20%, significa que ele possui 20kg de massa “gorda”.

Freqüência Cardíaca Basal – É a mais baixa freqüência que o coração da pessoa pode bater, quanto menor esse valor mais forte e bem condicionado está o coração do atleta. O ideal é que a medida seja feita com o individuo dormindo.

Freqüência Cardíaca de Repouso: Registrada quando o indivíduo encontra-se acordado mas sem realizar nenhuma atividade física. Assim como a basal, quanto menor o valor, melhor está à condição do corredor.

Pressão arterial – É a força com a qual o coração bombeia o sangue através dos vasos. É determinada pelo volume de sangue que sai do coração e a resistência que ele encontra para circular no corpo. Uma  alteração significativa na pressão pode indicar doenças relativamente graves.

Sendo assim, espero que todos estejam em dia com suas avaliações para que possamos colocar em números todo o esforço aplicado ao treinamento nesses últimos meses.


Bons treinos amigos!

Top 10 Melhores alimentos para correr mais



A tua alimentação influencia directamente o rendimento físico no treino e nas provas, além da preocupação constante em manter uma alimentação saudável e equilibrada, existem alimentos que podem fazer a diferença na tua performance desportiva. Não os deixes na prateleira do supermercado.

10º Salmão
O Salmão é um peixe nutricionalmente muito rico. Fornece proteína de elevado valor biológico (21g de proteína por 100g de salmão) e ácidos gordos ómega 3, potentes anti-inflamatórios naturais. Consuma peixe gordo como o salmão, a sardinha ou a cavala pelo menos 2 vezes por semana.

9º Ovo
O ovo é um super-alimento muito negligenciado. É a nossa melhor fonte de proteína, fornece fosfolípicos essenciais à manutenção dos tecidos nervosos e vitaminas e minerais importantes no metabolismo e na nossa saúde. Deve ter em atenção que o ovo mexido ou estrelado, pela temperatura e pela fritura, estraga algum do seu valor nutricional pelo que é preferível manter a gema intacta cozendo ou escalfando o ovo. Se tem os níveis de colesterol sanguíneos controlados e corre pelo menos 3 vezes por semana, pode comer 1 ovo por dia.

8º Chocolate negro (pelo menos 70% cacau)
Muito apreciado mas uma verdadeira vítima da moda da dieta. O chocolate pode ser interessante para todos os que não toleram o café ou o chá, ou não o bebem por norma, e precisam de um estímulo para enfrentar os treinos e ter mais energia e melhor concentração durante o esforço. Procure um chocolate com pelo menos 70% de cacau e coma 2 quadrados (~10g) antes do treino.


7º Mel
O mel é uma fonte de hidratos de carbono de elevada disponibilidade e que fornece também vitaminas e minerais. Tem uma acção anti-inflamatória e estimula a função imunitária. Por isso, se pretende adoçar o seu batido após o esforço troque o açúcar por uma colher de sopa de mel.

6º Iogurte magro
A nossa flora bacteriana intestinal é uma importante barreira do sistema imunitário e comer pelo menos 1 iogurte por dia é uma excelente forma de a manter saudável e intacta, sobretudo depois de uma diarreia severa. Além disso, por ser ácido, o seu cálcio é mais facilmente absorvido e tem teores mínimos ou mesmo nulos de lactose facilitando a sua digestão quando comparado com o leite. Um iogurte magro por dia pode ser um excelente lanche ou uma ceia leve.

5º Nozes
Já reparou que a noz tem a forma de um cérebro? Não é por acaso! É uma boa fonte de ácidos gordos polinsaturados, da família dos ómega 3 como o salmão, que ajuda a manter as células nervosas saudáveis. E tem também minerais importantes para a condução dos impulsos nervosos como o fósforo, o magnésio e o potássio. A noz ajuda também a controlar melhor a fome, servindo de petisco muito mais saudável do que aqueles amendoins fritos e os aperitivos de pacote que procura quando não tem o que comer. Leve 3 a 5 nozes consigo.

4º Massa
Um importante aliado à sua mesa. Fornece hidratos de carbono de digestibilidade fácil e por isso ajuda-o a maximizar as reservas de glicogénio muscular. Não é preciso descrever muito, basta apenas que varie tanto quanto possível entre esparguete, cotovelos, roscas, macarrão, etc e de vez em quando opte também pelas variedades integrais e com legumes. 200g de massa cozida são um excelente almoço e fornecem-lhe 60g de Hidratos de carbono, em média o atleta precisa de 6 a 10g/Kg de peso por dia.

3º Fruta e Vegetais
Dão cor e sabor ao seu prato. A fruta tem hidratos de carbono pelo que a quantidade deve ser ajustada às suas necessidades. Varie tanto quanto possível entre os citrinos, as frutas tradicionais como a maçã e a pêra. E, claro, inclua umas bananas no cesto.

Nos vegetais, inclua em cozido no prato ou em salada e não se esqueça de uma tigela de sopa de hortaliças ao início da refeição para enriquecer a dieta de vitaminas e minerais.


2º Passas, sultanas e alperces secos
São fontes de energia portáteis, podes enriquecer os teus lanches com um punhado de uma mistura destas ou os teus cereais do pequeno-almoço ou ainda levá-los numa corrida mais longa para manter os níveis de açúcar estáveis. As sultanas são boas fontes de magnésio e poderão ajudar a prevenir cãibras e dores musculares. 2 a 4 colheres de sopa por dia, sobretudo nos dias de treino, irão reforçar a tua ingestão de hidratos de carbono.

1º Batata-doce
Durante muito tempo foi desprezada e era alimento para animais (como a aveia). No entanto, não há duvidas em afirmar que é uma excelente fonte de hidratos de carbono, absorvidos mais lentamente do que na batata convencional, e com maior disponibilidade do que a massa e o arroz. Se treinou ao fim da tarde, coma 200-300g de batata-doce ao jantar para maximizar a reposição do glicogénio gasto durante o esforço.

Os princípios básicos de uma alimentação saudável prendem-se com a qualidade, quantidade e variedade dos alimentos. Neste Top 10 encontra alguns alimentos que poderão ajudar a melhorar o rendimento desportivo de uma forma natural.

Inclua estas opções junto com outras equivalentes na sua lista de compras.


sábado, 29 de outubro de 2011

Marcha Atlética...

                                                    


  
 
 
A marcha atlética é uma das várias modalidades de atletismo. As principais características são: o fato de que o atleta tem que, ao caminhar durante toda a prova, manter um dos pés no chão, e mais: ao dar cada passo, a perna que avança deve estar reta. Para que esse movimento em progressão seja possível, há necessidade de rodar o quadril, o que causa um “requebrar” como conseqüência.
 
Geralmente as provas são disputadas nas ruas. As distancias das provas de marcha atlética são:
Feminino – 20 km
Masculino – 20 km ou 50 km

O atleta que pratica o esporte é chamado de marchador. Atenção, concentração, ritmo, coordenação, boa resistência e treino extensivo são essenciais.

A marcha atlética tem origem nas competições de caminhada que datam dos séculos XVII a XIX. Em 1908 passou para a condição de esporte olímpico, porém as distâncias eram outras (1500 m e 3000 m). Muito criticada, não foi disputada nas competições seguintes, voltando a ser um esporte olímpico em 1928. Somente em 1956, a prova passou a ter as atuais distâncias.
A modalidade foi trazida ao Brasil em 1936, por José Carlos Daudt e Túlio de Rose, que assistiram à marcha nos Jogos Olímpicos de Berlim. Já em 1937 aconteceu, em Porto Alegre, a primeira disputa, da qual o vencedor foi Carmindo Klein.
Durante o percurso, os atletas são fiscalizados por juízes, que são incumbidos de avisar aos atletas quando estes estiverem marchando de forma errada. Para isso utilizam discos amarelos, que sinalizam uma possível infração. Caso o atleta persista no erro, lhe é mostrado um cartão vermelho. Se três juízes diferentes mostrarem o cartão vermelho ao mesmo atleta, esse é desclassificado.

O mais famoso marchador, que obteve as mais importantes vitórias foi Robert Korzeniowski. Entre os anos de 1996 e 2004, o polonês foi tetracampeão olímpico e tricampeão mundial.

Jefferson Pérez (Equador) é o atual recordista mundial na categoria 20 km, e Denis Nizhegorodov (Russo) é o atual recordista na categoria 50 km.

EM ALGUM LUGAR CORRENDO... NO HIMALAIA

terça-feira, 25 de outubro de 2011

UM POUCO MAIS DE MUSCULAÇÃO

A Musculação nos dias de hoje tem deixado de ser vista apenas como sinônimo de treinamento de força.


                                                                           


Os mitos que envolvem têm caído por terra, graças, em parte, à mídia, que vem esclarecendo e despertando a população em geral para seus ben

Desta forma os próprios alunos têm buscado Profissionais mais qualificados nas academias, que sejam realmente capazes de lhes prestar uma melhor assistência e orientação.

A grande maioria das pessoas ainda procura na Musculação apenas uma melhor aparê


Benefícios da Musculação
  • Sensação de tranqüilidade e bem-estar;
  • Melhorias da auto-imagem, do auto-conceito e da auto-estima;
  • Melhorias na socialização e nos relacionamentos interpessoais;
  • Melhoria da qualidade do sono;
  • Melhoria em quadros de depressão e angústia;
  • Melhoria dos aspectos cognitivos (atenção, concentração, memória e aprendizagem);
  • Diminuição do nível de ansiedade , refletindo em alguns dos problemas de obesidade;
  • Aumento do gasto calórico total diário, reduzindo e controlando a quantidade de gordura corporal (desde que acompanhada de uma dieta adequada);
  • Melhoria da capacidade de resposta muscular em situações de perigo devido ao melhor condicionamento físico;
  • Aumento de massa magra e enrijecimento muscular;
  • Aumento da Força Muscular;
  • Melhoria da Flexibilidade;
  • Melhoria da Capacidade Aeróbica;
  • Menor predisposição em desenvolver sintomas psicossomáticos, como úlceras psicogênicas, impotência , anovulação , etc...;
  • Aumento da resistência do sistema imunológico, diminuindo o risco de infecções oportunistas;
  • Diminuição do risco de problemas cardíacos;
  • Diminuição do risco de hipertensão;
  • Diminuição do risco de problemas de colesterol e diabete.
ncia estética, contudo, isto na verdade não deveria ser o objetivo e sim a conseqüência natural de uma atividade física bem orientada e segura, num sentido maior - melhoria de qualidade de vida.
Assim, dentro de um conceito de aptidão física, devemos buscar numa sessã
o de musculação o desenvolviment
o de três qualidades físicas básicas: a força ou resistência muscular, a flexibilidade e a resistência aeróbica. Trazendo os seguintes benefícios:
efícios.

Corrida de rua no Brasil ,sempre crescendo!!!


As corridas de rua se tornaram extremamente populares nos últimos anos no mundo inteiro. No Brasil, há centenas de corridas de rua realizadas anualmente. As motivações para as ruas brasileiras estarem repletas de corredores são várias: melhora da forma física, qualidade de vida ou simplesmente uma atividade social.
As competições de corrida de rua são realizadas em várias distâncias, desde alguns poucos quilômetros até centenas deles (ultra maratonas). As mais comuns no Brasil são as corridas de 5Km e de 10Km. Confira o calendário de corridas de rua.

A mudança do perfil dos praticantes da corrida de rua foi importante para a disseminação desse esporte. A corrida deixou de ser um esporte apenas para profissionais ou pessoas com baixo poder aquisitivo, para se tornar um esporte mais amador e presente em todas as classes da sociedade. Prova disso é o investimento de um corredor que varia de R$ 1 mil até R$ 13 mi por ano. Esses gastos podem englobar assessoria esportiva, equipamentos, nutricionista, etc.

Para iniciar a prática da corrida, alguns cuidados devem ser observados:

- Procure um médico para uma avaliação especializada. Os principais testes que serão feitos são: cardíacos, ortopédicos e nutricionais.

- Acompanhamento para os treinos. Um profissional capacitado pode dosar qual o treinamento correto para sua corrida. Alguns fatores variam de pessoa para pessoa. A duração do treino, a intensidade, educativos para melhora da postura e da corrida são alguns exemplos.

- Alimentação: muitas pessoas procuram a caminhada e corrida de rua para acelerar o emagrecimento. Ótimo, porém a maioria não se alimenta direito. Resultado, pessoas desmaiando, com fraqueza, tonturas e outros sintomas de má alimentação durante a prática do esporte. Procure um nutricionista e se alimente corretamente, antes, durante e após a corrida de rua.

- Hidratação: em treinos longos, com duração maior que 30 minutos, o atleta deve se hidratar. Recomenda-se 200 a 300ml a cada 20 minutos de atividade física intensa.

Dica: procure não realizar os treinamentos em conjunto. Alguns treinos de resistência, com distância grande, podem e devem ser realizados em conjunto. Porém, para curtas distâncias, a pessoa mais lenta atrapalha a mais veloz e vice-versa.

O Brasil conta hoje com cerca de 5 milhões de corredores de rua. Entre para essa turma!

Vamos correr!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

domingo, 23 de outubro de 2011

A Construção do Corredor - Dos Primeiros Passos à Alta Performance





Como muitas pessoas, provavelmente você já deve ter pensado em correr para perder peso, ganhar agilidade ou força muscular.

Sem dúvida, seja qual for o motivo, o que você deseja é ficar em forma.

Neste livro, o professor de Educação Física Miguel Sarkis mostra por que esta atividade é eficiente para obter disposição, agilidade e vigor físico.

 A publicação traz programas de treinamento para quem deseja correr desde cinco quilômetros até maratonas, tanto para iniciantes quanto aos atletas de alto desempenho.

O autor explica que, apesar de saudável, correr requer preparação especial para resultados satisfatórios na busca de equilíbrio e manutenção da saúde.

EM ALGUM LUGAR NO MUNDO CORRENDO


Imitando o hemerodromo, o soldado que correu de Maratona a Atenas totalmente equipado

O perigo da descida e da inclinação na corrida



A biomecânica da corrida de longa distância difere da mecânica das demais provas de corrida. As distâncias percorridas, assim como as diferenças de superfície e as características da prova, exigem do atleta técnica e estratégias específicas. Por exemplo, o ângulo de inclinação do tronco dos corredores de longa distância varia entre 5 e 9 graus, enquanto nos meio-fundistas é de 15 graus e nos corredores de velocidade chega a 25 graus.
A execução correta dos movimentos é o segredo para uma corrida sem machucados. Quando a pessoa modifica de forma súbita as características das passadas, ela pode provocar o surgimento de lesões, associadas aos sintomas de fadiga.

Lesões 
As lesões observadas com mais freqüência entre os corredores de longa distância são as de sobrecarga ou fadiga, tais como tendinite do calcâneo, fraturas de estresse dos ossos do pé ou da perna, tendinites na região anterior do joelho (tendinite patelar), na região interna (“tendinite da pata de ganso“), na região externa (tendinite do poplíteo), atrito da banda ílio-tibial na região lateral da coxa e a fascite plantar.
A investigação da causa desses problemas começa pelo estudo do apoio da planta do pé. Quanto mais pronado (tendência do pé para lateral interna) for o apoio, maior é a predisposição à sobrecarga na parte medial (interna) do pé e da perna. A compensação pode ser feita com tênis apropriado ou com o emprego de palmilhas específicas.

Descendo a ladeira
O treinamento  freqüente em condições de declive também não é recomendado em termos médicos, porque coloca o atleta em situações de risco. A necessidade de controlar a velocidade em uma descida obriga a desaceleração do movimento. Para isso, o atleta desloca seu centro de gravidade para trás, faz o apoio com mais flexão plantar (com a ponta do pé para baixo) e sobrecarrega a região anterior do joelho, podendo provocar tendinite patelar ou mesmo lesões da cartilagem articular.

Correndo com inclinação
A corrida em terreno inclinado, como as margens laterais das ruas ou as praias de tombo, determina um apoio desigual dos pés durante a corrida. O pé mais próximo da margem baixa é forçado em supinação (desviado para fora) o que predispõe a lesões no compartimento interno do joelho do mesmo lado.
Portanto, como prevenção de lesões nas corridas de longa distância deve ser respeitada os princípios básicos da biomecânica e do treinamento. Não se deve treinar de forma exagerada em descidas ou terrenos inclinados. Pode ser que você não sinta dor na hora do treino, mas, se sentir, pare imediatamente. Caso perceba um incômodo depois, relate ao seu médico em que condições fez suas corridas para que ele possa fazer o diagnóstico correto.

sábado, 22 de outubro de 2011

Biomecânica da Corrida

Posicionamento do Corpo
O deslocamento do CG para frente, com aumento da distância de força (d), depende da velocidade da corrida, do grau de inclinação do corpo e da amplitude de flexão do quadril.
Há uma grande diferença entre a marcha e a corrida. Durante a marcha ocorre o apoio do calcâneo com o solo a fim de facilitar o balanço, devido a baixa velocidade de deslocamento dos membros e a grande carga criada pela estensão do membro inferior, produzindo um forte apoio (impacto) e uma força de frenagem se a mecânica não for trocada no ato de correr.
O toque chapado dos pés com o joelhos semiflexionados reduz a força e a direção do impacto, que não se incide mais na sentido da patela e do acetabulo e anula força de frenagem.




Os membros superiores 

O movimento pendular dos membros superiores auxilia o torque escapular economizando trabalho muscular e ajudando a neutralizar o torque de giro pélvico.

BONS TREINOS E VAMOS CORRER !!!!!!!!!!!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

TREINAMENTO DE CORRIDA PARA MULHERES E CRIANÇAS




MULHERES E CORRIDA

A participação oficial de mulheres em provas de corrida de longa distância é particularmente nova do ponto de visto histórico.

Segundo NEWSHOLME et al (2006) foi somente na década de 70 que a participação das mulheres foi autorizada. O Clube da América foi quem organizou a primeira maratona feminina da história com 6 mulheres participantes. Esta corrida foi organizada nos Estados Unidos.

A primeira maratona olímpica para mulheres  aconteceu em 1986 e foi  ganha por uma norte-americana que completou a prova em 2h24min52. Hoje  em dia, a participação das  mulheres neste tipo de esporte é cada vez mais  comum sendo que existem  divisões de prova entre os  sexos (NEWSHOLME et al.  2006). No Brasil, a participação  de mulheres em provas de  corrida é cada vez maior. Por  esse motivo, treinos baseados nas características anatômicas e fisiológicas femininas devem ser elaborados para se evitar o risco de lesão.

 São justamente essas diferenças anatômicas e fisiológicas que impedem as mulheres de alcançarem os mesmos desempenhos que os obtidos pelos homens (NEWSHOLME et al. 2006).

As principais diferenças encontradas nas mulheres do ponto de vista fisiológico, em relação aos homens, são as seguintes (NEWSHOLME et al. 2006):

> Menor débito cardíaco

> Menor quantidade de hemoglobina

> Menor massa muscular e maior massa gorda

Já, em relação às diferenças anatômicas as mulheres apresentam as seguintes limitações, segundo NEWSHOLME et al. (2006):

> Tendão de Aquiles mais curto
> Quadril mais largo




CRIANÇAS E CORRIDA

Apesar do que alguns podem pensar, as crianças se adaptam após treinamento de corrida da mesma forma que os adultos. De fato, o sistema cardiovascular das crianças, apresenta adaptações maiores até do que o dos adultos. Adaptações da capacidade de desempenho também se fazem presente nas crianças pelo aumento do limiar anaeróbio.

A idade ideal de estímulo da capacidade aeróbia nas crianças fica em torno dos 12/13 anos para as meninas e 13/14 anos para os meninos. Vale lembrar que, nesta fase, a ênfase do treinamento deve ser de caráter geral e não específico. Jogos lúdicos, e realizados em grupos, devem ser estimulados. Distâncias entre 600 a 1200 metros são as mais indicadas para um início de trabalho (WEINECK, 2003).

Dicas para o casal não cair no sedentarismo

Começar um relacionamento significa algumas mudanças de rotina. A vontade de se dedicar à relação muitas vezes vem à frente da disciplina para cuidar do próprio corpo, da alimentação e da prática de exercícios físicos.



Veja alguns hábitos comuns de casais que se entregam ao amor e acabam deixando de lado a preocupação com a boa forma. Veja se você se encaixa nos perfis abaixo e confira dicas para reverter as situações, evitando os indesejáveis quilinhos a mais.
  • Companheiros de garfo: homens geralmente comem mais do que as mulheres, além do fato de se importarem menos em colocar no prato alimentos mais saudáveis. Pesquisas mostram que enquanto eles são mais propensos a perder peso a partir da influência de suas parceiras, elas têm mais facilidade para ganhar quilinhos quando tendem a acompanhar o namorado.
    Dica: um bom truque para saber se ainda está com fome, é imaginar um suculento filé: se você sentir fome suficiente para comê-lo, então tem espaço de sobra. Se você não tem estômago para este pensamento, é porque não precisa comer.
    .
  • Mais cinco minutos na cama: quando se está na cama com o amado, a escolha entre a academia e um tempinho a mais antes de se levantar é bem óbvia. Assim, fica difícil comparecer àquela aula de spinning às sete horas da manhã. Dica: quando estiver com preguiça, tenha em mente: exercícios aumentam o desejo sexual. Quanto mais você se exercita, mais tonificada fica a sua musculatura pélvica, trazendo muitos ganhos para o ato sexual.
    .
  • Sair para comer…de novo?: jantares, brunches e outros passeios recheados de guloseimas são bastante comuns para quem está namorando. Embora seja muito agradável sair para jantar fora, as calorias ingeridas nestes programas geralmente extrapolam os limites. Dica: uma boa alternativa é cozinhar juntos em casa, onde você conhece os ingredientes e pode escolher refeições mais leves. Quando saírem, prefira dividir o prato com ele ou ficar apenas no aperitivo.
    .
  • Filminhos e mais filminhos: gastar horas em frente de uma TV assistindo filmes com seu parceiro, de fato, é uma delícia. O problema é que essas noites de cinema acabam se tornando apenas noites de sono. Dica: não deixe de curtir uma noite ao lado das amigas, dançando, por exemplo, e mantenha-se em movimento!
    .
  • Mais tempos juntos, mais atividades juntos: se ele não sabe dança ou não gosta de praticar yoga, não tem problema: casais tendem a unir interesses. Mas isso nem sempre é positivo. Dica: os casais precisam de tempo longe um do outro para se lembrar por que estão juntos. Não abra mão das suas atividades e interesses. Sempre abra espaço para o seu exercício favorito e para sua independência.
    .
  • Por baixo da roupa velha: ele diz que te ama com aquela camiseta velha, e você acaba empurrando para o fundo do armário suas roupas favoritas e, com isso, os quilinhos extras acabam passando despercebidos. Dica: tentem se vestir um para o outro uma vez na semana. Assim, ele vai poder ver o seu corpo como de fato ele é, e você também.
    .
  • Mudando os hábitos alimentares: se ele gosta de carne de porco, é viciado em doces e em frituras, cuidado. Quando menos se espera, você também estará viciada em alimentos sobre os quais nunca teve nenhum interesse. Dica: imponha limites e tente, gentilmente, fazer a situação inversa, incluindo opções mais saudáveis na dieta dele.
    .
  • Sem tempo para treinar : se você nao consegue acordar cedo o suficiente para tonificar seu corpo e, entre o fim do expediente e a hora de ir para cama, não encontra tempo suficiente para malhar e ainda ficar com seu parceiro, atenção. Dica: a melhor opção nestes casos é convidá-lo para o treino ! Tentem encontrar uma atividade que agrade os dois: isso é uma ótima motivação para ambos.

Sete dicas para aumentar o seu metabolismo

  1. Pratique esportes. Fazer exercícios 4 ou 5 dias na semana é muito eficaz para o aumento metabólico.
    .
  2. Evite comer alimentos gordurosos e ricos em gorduras saturadas, que não dão a sensação de plena satisfação, e nos fazem comer mais. Acrescente na sua dieta carboidratos e proteínas. E dê preferência para alimentos que queimam mais calorias,ou seja, com pouca gordura.
    .
  3. Não se esqueça do café da manhã, já que nessa hora do dia o corpo está preparado (e esperando) para receber alimentos. Se você pula essa refeição para emagrecer, está muito enganado.
    .
  4. Pular alguma refeição não fará que emagreça. A própria digestão queima calorias, então comer no período da manhã ajuda a manter um gasto energético constante.
    .
  5. Mastigue bem. Comer devagar ativa os mecanismos de resposta da saciedade para o corpo. Então a sensação de que já está satisfeito aumenta.
    .
  6. Não exagere no café, pois a cafeína até pode acelerar o metabolismo, mas não é uma panaceia. O corpo se adapta ao seu consumo, o que fará você beber cada vez mais café para surtir algum efeito.
    .
  7. Desconfie das dietas hipocalóricas. Funciona em curto prazo, mas passado um tempo o metabolismo se acostuma a trabalhar no modo poupança, e como chega pouca energia através da comida, dá mais trabalho para queimar as calorias.



Bons treinos e vamos correr!!!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...