quarta-feira, 28 de março de 2012

XXVII PROVA GENERAL SALGADO 2012




                VÍDEO DA LARGADA











                                                         FOTOS




















                     
             EQUIPE ACADEMIA ELIANE INDIANI

                                  A THE BEST!











           VENHAM FAZER PARTE DESTA EQUIPE QUE FAZ SUCESSO !





ACESSE O LINK DOS RESULTADOS DA PROVA 2012

                                 








            PROF. ESP. RODRIGO FARIA 
       personaltrainerlondon@hotmail.com 

                         

terça-feira, 27 de março de 2012

20 Dicas extras de corrida





1- Entre um treino e outro, ande de bicicleta. A pedalada fortalece as coxas e melhora a capacidade do joelho de amortecer o impacto da corrida. A bike, nesse caso, teria o mesmo efeito que o exercício com peso para as pernas indicado na matéria.

2- Muitos corredores recomendam que se coma banana todos os dias. A fruta possui potássio, o que teoricamente diminui o risco de cãibras. Mas nenhum dos meus entrevistados recomendou isso. Eles apenas indicaram uma dieta balanceada e com frutas (que pode ser qualquer uma).

3- Outra recomendação muito comum entre os corredores é correr para um rodízio de carnes assim que terminar uma prova. Isso, segundo dizem alguns, seria uma forma de repor as proteínas do corpo, todo debilitado. Trata-se de outro mito: "Em vez de gastar energia para se recompor, o organismo passaria a se dedicar à digestão de toda essa carne". "O mais provável é que a pessoa vai engordar, só isso".

4- A esteira é uma boa alternativa para ganhar condicionamento físico. Além disso, amortece mais as passadas do que o chão. Mas quem pretende fazer uma prova de rua não pode treinar apenas nessa máquina. Nela, o corpo faz um sentido vertical, para manter o equilíbrio. Na rua, o sentido é para a frente. "Quem só treina na esteira costuma ter muita dificuldade para correr na rua por uma questão de equilíbrio". "Corredores de esteira têm mais chance de torcer o pé, porque o piso da rua é irregular, enquanto na esteira é totalmente plano".

5- O tênis não pode ser apertado. Alguns atletas preferem até comprar um número acima. Também é preciso estar atento à inclinação da sola. Há tênis para pessoas que pisam com o pé inclinado para dentro e pessoas que pisam para fora. Certas lojas oferecem testes para se descobrir isso. Na dúvida, opte por um calçado neutro, que não tem inclinações para os lados.

6- Pessoas acima do peso correm mais risco de sofrer lesões numa corrida. O ideal é ter um peso satisfatório para completar a prova com segurança. Se você está com sobrepeso, reduza o ritmo até conseguir perder alguns quilinhos.

7- Para saber se você está ou não em um bom ritmo, aqui vai uma dica curiosa: tente conversar com um parceiro. "Se o atleta não tiver fôlego para falar a palavra Piracicaba, então é melhor diminuir a marcha".

8- Correr com muita chuva não é indicado, pois a água pode molhar o tênis e formar bolhas. Mas, se o tempo estiver apenas com uma leve garoa, não há desculpa.

9- Em dias muito frios, o treino pode não valer a pena. O risco de pegar um resfriado aumenta muito. Se você achar que dá para arriscar, comece o treino agasalhado e depois fique apenas com camiseta de manga comprida. "Ao final, lembre-se de trocar a camiseta suada o mais rápido possível".

10- Se você joga futebol e quer treinar para uma corrida de 10 km, há dois treinos semanais possíveis:

* Caso jogue apenas uma vez por semana, faça mais dois treinos semanais de corrida com 6 a 7 km.
* Caso jogue duas vezes por semana, faça mais um treino semanal de 6 a 7 km.

11- Mulheres devem correr com tops justos para evitar desconforto. Caso o incômodo com as passadas continue, o ideal é usar dois tops. Isso ajuda a evitar que os seios caiam por causa do movimento da corrida (esse é um tema polêmico entre os especialistas, mas algumas pesquisas já insinuaram isso).

12- Um acompanhamento profissional é sempre indicado para os corredores. "Todo mundo precisa ter um médico que o acompanhe e peça os exames necessários", diz Marcos Paulo Reis, consultor do grupo Pão de Açúcar.

13- O torrone, normalmente entregue ao se completar a prova, oferece uma boa quantidade de carboidratos. Mas alguns consultores acham que a ingestão rápida de muito açúcar, muito rápido, não faz tão bem assim. Já a barrinha de cereal não tem contra-indicações.

14- Antes da competição, conheça o trajeto da prova. Isso ajuda a reduzir o estresse no dia. Sem contar que talvez seja necessário guardar um pouco de energia para uma subida no final (todo mundo já cansou de ouvir aquela historinha da subida da Brigadeiro no final da São Silvestre...).

15- Em dias de sol, não se esqueça do boné, do protetor solar e de tomar bastante água.

16- Há muitas diferenças entre as provas de 10 km do Brasil. Algumas são repletas de subidas e descidas. Se possível, comece por uma prova de 10 km que seja plana e à noite, em razão da temperatura mais amena, ou em uma época não tão quente.

17- Acostume-se a beber água nos treinos. "Não é raro encontrar pessoas que têm refluxo durante as provas porque não se acostumaram a isso".

18- Durma bem. Uma boa noite de sono ajuda a recuperar os músculos, reforçar os ossos e queimar as gorduras. Na noite anterior a uma prova, a falta de sono pode ser cruel com a disposição. O recomendado é dormir oito horas.

19- Se correr, não beba. Se beber, não corra. O álcool provoca desidratação, aumenta a freqüência cardíaca e pode provocar tonturas no treino. Além disso, a bebida é muito calórica e pode atrapalhar o controle do peso.

20- Caso você fique algumas semanas sem correr, volte a treinar num ritmo bem leve. Jamais tente voltar ao ponto em que estava. Para isso, é preciso paciência. Se você ficou um mês sem treinar, terá que correr por um mês para chegar ao ponto em que parou.

EM ALGUM LUGAR DO MUNDO CORRENDO SEMPRE

terça-feira, 20 de março de 2012

Atividade física e Alzheimer

Das demências que afligem pessoas de idade, a doença de Alzheimer é a mais prevalente. Afeta 6% da população a partir dos 65 anos e 15% da população com mais de 80 anos.

A doença tem início insidioso e curso variável.Os primeiros sintomas são perda de memória ou apatia, que progridem até interferir com a realização das tarefas diárias. Com o tempo, a falta de memória se agrava e surgem déficits cognitivos: distúrbios de linguagem, alterações visuais, dificuldades motoras progressivas, declínio intelectual, sintomas psicóticos e alheamento.

De acordo com a gravidade, o declínio das funções cognitivas e motoras costuma ser dividido em quatro grupos:

1) benigno: com pouca ou nenhuma progressão;

2) mioclônico: com declínio intelectual grave e mutismo;

3) extrapiramidal: com declínio intelectual grave e sintomas psicóticos;

4) típico: com declínio cognitivo e funcional graduais.

A velocidade de evolução é variável. Certos pacientes apresentam sintomas graves já no início do quadro, enquanto outros levam anos para despertar a atenção dos familiares. Enquanto alguns autores calculam que a duração média da demência até se tornar grave é de 10 a12 anos, um trabalho clássico demonstrou deterioração cognitiva mais grave em 67% dos casos depois de 50 meses de evolução e, em 80%, depois de 80 meses.

Velocidades mais rápidas de progressão estão associadas à presença de fatores como história de outros casos na família, início anterior aos 65 anos, antecedentes de etilismo, baixa escolaridade e analfabetismo, além de fatores genéticos, especialmente as alterações no gene que codifica uma proteína chamada apolipoproteína E.

O exame do cérebro de portadores de Alzheimer mostra atrofia difusa, mas não uniforme, que reflete a perda de neurônios e das conexões existentes (sinapses) entre eles, preferencialmente em certas áreas.

Na microscopia, a doença é caracterizada principalmente pela deposição de placas no espaço entre os neurônios, formadas pela proteína beta-amilóide. Neurocientistas da Universidade de Chicago publicaram recentemente, na revista Cell, uma pesquisa com ratos transgênicos especialmente engendrados para produzir depósitos de placas no cérebro semelhantes aos da proteína beta-amiloide, a partir de 4,5 meses de idade.

Nela, sete ratos de um mês de idade foram colocados em gaiolas típicas de laboratório: com comida, água, serragem e mais nada.

Outros nove foram alojados em gaiolas cheias de brinquedos e de dispositivos para que pudessem praticar exercícios. Os animais foram monitorizados rigorosamente a fim de quantificar o grau de atividade física. Cinco meses depois, todos foram sacrificados e tiveram seus cérebros analisados.

Comparados com os ratos sedentários, os mais ativos fisicamente apresentaram redução dos depósitos de placas amilóides entre os neurônios. Os autores identificaram, também, alterações bioquímicas cerebrais que podem explicar essa diminuição das placas: detectaram a atividade aumentada de uma enzima chamada neprilisina no cérebro dos ratos mais ativos, dotada da propriedade de degradar as placas amiloides. Essa enzima também potencializa a expressão de genes envolvidos no aumento da sobrevivência de neurônios, na facilitação do aprendizado e na ativação dos mecanismos de formação e armazenamento de memórias. Não foi testado, porém, se esses efeitos se deveram exclusivamente ao exercício ou ao ambiente rico em estímulos visuais e táteis.

Inquéritos populacionais conduzidos por pesquisadores da UNIFESP (Escola Paulista de Medicina) em várias regiões de São Paulo, já haviam mostrado que a doença de Alzheimer e outras demências eram mais prevalentes entre pessoas iletradas e sedentárias. Pesquisadores da Johns Hopkins acabam de publicar no American Journal of Epidemiology um trabalho semelhante mostrando que a atividade física pode reduzir o risco de Alzheimer em até 50%.

Mas, a pesquisa publicada na Cell é o primeiro estudo experimental que estabelece a relação entre a velocidade de formação das placas amilóides características de Alzheimer e a prática de atividade física.

domingo, 18 de março de 2012

Melhore recorde nos 10 km .

A distância é suficientemente curta para que você consiga completá-la com pouco tempo de treinamento. Mas se a meta é buscar melhores resultados, trate de trabalhar para isso!




Nada de encarar os seus primeiros quilômetros sem nenhuma preparação. Se você quer se sair bem em uma competição, ainda que esta consista em um percurso curto, programe-se com pelo menos dois ou três meses de antecedência e comece a treinar. Assim, haverá tempo para trabalhar o seu condicionamento físico e melhorar a sua performance de maneira significativa. Outro bom conselho é participar de competições menores, de 5 km, por exemplo, antes de chegar à sua provaobjetivo. Dessa forma, poderá preparar não apenas o seu físico, mas trabalhará também o seu lado emocional para o estresse e a tensão de uma competição. Além disso, fará um teste real de sua performance.


1. ESCOLHA DA PROVA

Primeiro, determine uma competição com a distância mais adequada ao seu objetivo e perfil. Por exemplo, se quer melhorar sua marca ou caso esteja estreando nesse tipo de prova, escolha uma corrida com percurso plano, largada o mais cedo possível para evitar as altas temperaturas e com um número de participantes reduzido. Se você é mais ousado e gosta de desafios, procure uma competição com subidas íngremes ou terreno mais acidentado. E para aqueles que desejam estar entre os amigos e adoram uma festa, há provas com megashows no final dos eventos e camisetas especiais, com a possibilidade de escolha da cor e até do modelo. Já se você quer acompanhar sua evolução, busque algum circuito no qual o percurso se repete durante todas as competições do calendário.


2. TREINO PRÉ-COMPETIÇÃO

Na semana que antecede a prova, reduza a carga de treino. No dia anterior à competição, faça, no máximo, um trote leve.


3. NÚMERO DE PROVAS

Como você diminui o volume e a qualidade dos treinamentos na semana da competição e no dia seguinte à corrida, se fizer uma prova por semana quando irá treinar? Então, procure participar de, no máximo, duas provas por mês.


4. ALIMENTAÇÃO

Se realmente deseja melhorar a sua performance e completar bem as competições, procure um especialista em nutrição. Ele elaborará uma dieta para os treinos mais fortes e indicará o quanto a mais de carboidrato você deve ingerir antes das corridas.


5. ESTRATÉGIA DE PROVA

A competição de 10 km é muito estratégica. Pode ser realizada de forma progressiva ou em split negativo (aumentando a velocidade a cada quilômetro), constante (na qual você arrisca um ritmo constante desde o início) etc.


6. AQUECIMENTO

Caso você utilize uma estratégia de regularidade desde o primeiro quilômetro, o segredo estará em um bom aquecimento com uma corrida leve alternada com pequenas acelerações e seguida por alguns exercícios educativos leves.


7. CONHEÇA O PERCURSO

Em geral, no site da organização da prova consta o trajeto e a altimetria da corrida. Planeje a sua competição baseado nisso.


8. AVALIAÇÃO MÉDICA

Sempre antes de iniciar os treinamentos para uma prova, faça um check-up médico geral e siga a orientação de profissionais de educação física credenciados para todas as suas atividades.

Boa corrida !

sexta-feira, 16 de março de 2012

EM ALGUM LUGAR DO MUNDO CORRENDO


Continente mais frio do planeta recebe 38 corredores para prova, que contou ainda com percursos de 21 km, 100 km e um especial de 100 milhas (160 km)

quarta-feira, 14 de março de 2012

CIRCULANDO PELO MUNDO DO ESPORTE VIDEO INCRIVEL ESPORTES RADICAIS .

CIRCULANDO PELO ESPORTE NO MUNDO .

Exercícios que aumentam a concentração e diminuem o cansaço.

Alguns exercícios simples aumentam a concentração e conseguem diminuir o cansaço.




Exercícios aeróbicos rápidos e alongamentos, durante o dia, ajudam a despertar e a manter a concentração, evitando aquela sonolência no meio da tarde. Subir e descer um lance de escada. Segundo ele, tal atividade aumenta a frequência cardíaca e a temperatura corporal contribuindo para um corpo mais desperto.

                                                



Outra alternativa é alongar-se. Confira o passo a passo:

• De pé, estenda os braços na direção do teto e mantenha-os erguidos por 15 segundos.

• Posicione a mão direita na nuca. Puxe o cotovelo flexionado para a esquerda por trás da cabeça. Depois, inverta a posição.

• Entrelace os dedos das mãos atrás das costas, com as palmas viradas para baixo. Flexione o tronco, estendendo os braços. Mantenha o olhar fixo para a frente.




Se movimentar durante o expediente ajuda a aumentar
a concentração.

terça-feira, 13 de março de 2012

Melhor postura para a corrida

 
 
 
Primeiro, o vídeo acima demonstra a aterrissagem de um maratonista, Sammy Wanjiru, quadro a quadro. Repare a forma como o pé toca no solo e onde ele equilibra o peso do corpo.
A posição do pé no desembarque adequada é uma parte muito importante da sua técnica de corrida, mas ironicamente não é o que você deve focar. O “pouso bom” do pé deve se tornar sua segunda natureza. Para que isso aconteça, você precisa fazê-lo muitas vezes e de preferência fazer isso direito a cada vez.

Como você repetir um movimento novo e de novo? Você faz exercícios que são projetados especificamente para esse. Fale com um dos nossos professores Zonaalvo. Estamos todos capacitados para servi-lo neste aspecto. Mas, vamos começar do começo.
Qual é a posição do pé no desembarque adequado? Na esfera de seu pé [ball of the foot - também conhecido como antepé, a área abaixo do osso sesamoide, primeiro metatarso e o "dedão"], com o peso corporal centrada sobre ele. 
 
 
Às vezes, o “pouso antepé” é entendido como os dedos dos pés deveria estar fazendo alguma coisa. Deixe seus dedos fazer o que eles fazem melhor – ajudar seu corpo a manter o equilíbrio . Então, aterrá-lo nas esferas de seus pés com seu peso corporal sobre eles, com o dedos fazendo a sua coisa própria de equilíbrio e os saltos agir em conformidade.
O que significa isso? Quando você posiciona o peso do corpo sobre a planta dos pés, mesmo os calcanhares ainda estão tocando o chão, eles vão se sentir peso e fora da terra. É assim que deve ser, qualquer tentativa de forçar os calcanhares para ir mais alto vai resultar em uma lesão na panturrilha ou dor no tornozelo, etc.
 
A altura do calcanhar no desembarque é determinada pela velocidade de execução. Quanto mais rápido você for – o maior calcanhar de seu vão. E os calcanhares vão fazer isso por conta própria se você deixá-los, porque eles são uma parte do sistema global onde tudo está conectado e não é independente.
 
 
Por quê estar pousando sobre as bolas dos pés é melhor?
 


Porque é a posição do pé mais eficaz para a execução técnica. Enquanto a aterrissagem com o calcanhar [healstriking] simplesmente é a causa da maioria de correr lesões relacionadas e devem ser descartados apenas por esse motivo, o desembarque “chapado” [flatfoot] não pode e não produz a “mola” efeito que permite a qualquer movimento.



A bola de desembarque pé é uma parte da posição “S-mola” do corpo, tornando-o compacto e carregado com energia elástica, pronto para correr rápido!  Como você pratica o desembarque adequada sobre a bola de pé? Você faz executando exercícios que são projetados especificamente para ajudar você.
Depois de praticar os exercícios funcionando por um tempo, você vai começar a executar os movimentos certos, simplesmente porque o seu corpo se lembra como, por isso não haverá necessidade de desperdiçar energia em se concentrar no que acontece por conta própria. E uma vez que nosso objetivo é simplificar a nossa tarefa de executar uma técnica com perfeição, tendo uma coisa a menos para pensar é o que precisamos. 

sexta-feira, 9 de março de 2012

Nike Zoom Vomero 7


MEN




WOMEN


APROVADO SEMPRE

EM ALGUM LUGAR DO MUNDO CORRENDO , "ISTAMBUL"


'Toda coberta', palestina participa de um Mundial de Atletismo pela 1ª vez.

Campeonato Mundial de Atletismo Indoor - Istambul 2012

História

O Mundial de Atletismo em Pista Coberta foi disputado, em 1985, como "Campeonato Mundial Indoor Games", em Paris, França e posteriormente foi renomeado em 1987, como é conhecido hoje.
São realizados de dois em dois anos à exceção de quando foram realizadas em anos consecutivos, em 2003 e 2004, a fim de ficarem em anos alternados do Campeonato Mundial de Atletismo.

Campeonatos Mundiais de Atletismo Indoor
09 a 11 de março de 2012



















PARA COMEÇAR BEM O FINAL SEMANA , CORRER AO SOM DO FILME ROCKY "GONNA FLY NOW"





quarta-feira, 7 de março de 2012

Os 10 Mandamentos do Corredor.

                         

EM ALGUM LUGAR DO MUNDO CORRENDO SEMPRE .

                                                               

Mais idade, mais corrida, mais saúde


A expectativa de vida vem aumentando e pessoas mais velhas descobrem, cada vez mais, os benefícios da prática de esportes, principalmente corrida e caminhada, para garantir a qualidade de vida
Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os brasileiros estão vivendo mais. A expectativa de vida é de 68 anos e, em 2020, estima-se que sejam 30 milhões de pessoas com mais de 65 anos, 13% da população.


Esse crescimento traz, junto, a preocupação em manter saúde e qualidade de vida em qualquer idade.
Segundo o Institute for Social and Economic Research Essex University, os jovens gastam menos tempo com atividades físicas que os mais idosos. Britânicos entre oito e 19 anos gastam 25 minutos diários a menos com exercícios em relação aos com mais de 65 anos, e enquanto apenas 12% dos mais velhos são inativos, 22% dos jovens entre oito e 35 anos não fazem mais do que dez minutos de exercício por dia.


A atividade física não reverte o envelhecimento, mas o desacelera”.








Com os anos, uma série de alterações fisiológicas modificam o funcionamento do corpo. A principal é a perda da força muscular, que primeiro se dá na perna (quadríceps). Além das alterações estruturais, de tamanho e diâmetro de fibras, os músculos diminuem as suas conexões com o sistema nervoso e vascular, deixando-os parcialmente inativos ou totalmente inativos.



Com os músculos, perde-se também a capacidade aeróbia (uma caminhada, por exemplo, torna-se anaeróbia, sem metabolismo de oxigênio, e é preciso parar para descansar várias vezes).
Importante para o funcionamento muscular, o tecido conjuntivo também sofre. “Tudo que é formado por ele [cartilagens e tendões] perde elasticidade, fica mais rígido e menos fluído, dificultando o suporte de impactos”.

Com a idade, diminui a capacidade neuromuscular, cardiovascular e endócrina. Nas mulheres, a redução da produção de estrógeno com a menor produção dos hormônios LH
(luteinizante) e folículo-estimulante (FSH) ainda traz outros problemas.


Comece já!

O sedentarismo, associado a uma dieta inadequada, é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares, que matam 300 mil pessoas por ano no país. Parte das doenças crônico-degenerativas (como diabetes tipo 2, obesidade, hipertensão arterial e artrose) estão relacionadas aos prejuízos circulatórios. Os níveis de sedentarismo ficam cada menores e os riscos são substituídos por saúde e autonomia.

Pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia e da Universidade Estadual da Califórnia acompanharam 91 corredores entre 50 e 60 anos para analisar se a corrida influenciava a redução de fatores de risco para contrair doenças cardiovasculares. A conclusão é que, durante o treinamento, os valores de pressão arterial, colesterol, triglicérides e glicose sanguínea são inferiores (e superiores para os níveis de HDL, o bom colesterol) em comparação aos valores de indivíduos sedentários da mesma idade.
Por isso, não importa a idade, é hora de calçar o tênis e correr. Prova disto é que recentemente o canadense Ed Whitlock, aos 73 anos, fez 2h54min48s em uma maratona, tornando-se o primeiro homem com mais de 70 anos a finalizar os 42 km em menos de três horas.

Os resultados de uma pesquisa realizada com atletas de alto nível depois que deixaram as pistas,e verificou que a perda da capacidade cardiovascular (consumo máximo de oxigênio – VO2 Máx) é maior para os que pararam de treinar.

A cada década o declínio da capacidade cardiovascular é de 0,5% para indivíduos treinados, 1% para indivíduos moderadamente treinados e 1,5% para indivíduos não-treinados. Ou seja, a perda cardiovascular é três vezes maior para aqueles que se tornaram sedentários.

“A capacidade oxidativa (aumento do tamanho e no número de mitocôndrias – produtoras de energia, aumento do tamanho e da quantidade de capilares sanguíneos e do número de fibras lentas) tende a ser menor com o envelhecimento, mas permanece mais alta após um período de treinamento”, explica Tessuti.
Além da saúde, a corrida traz ainda o benefício estético. “O envelhecimento da pele é causado pela diminuição da produção do colágeno”.

Mas a atividade física regular e de intensidade moderada ativa a circulação sanguínea e estimula a produção de colágeno, minimizando o processo.


Corrida: O que é importante saber?

 

 

Quais os benefícios da corrida?

Hoje em dia a corrida é uma das modalidades de exercício mais procurada por pessoas que têm o intuito de buscar um estilo de vida saudável e uma melhora no condicionamento físico. Isto porque correr traz um enorme bem estar e uma série de benefícios.

De acordo com o posicionamento oficial da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, os principais efeitos benéficos da corrida são:

- Redução do peso corporal;

- Maior controle dos níveis de colesterol;

- Aumento da capacidade cardiorrespiratória;

- Redução dos riscos de infarto;

- Aumento da massa muscular;

- Estimulação da massa óssea, auxiliando na prevenção da osteoporose;

- Melhor controle da pressão arterial de repouso;

- Auxílio para regular a glicemia (taxa de açúcar no sangue), evitando que os níveis de glicose se elevem, e para aumentar a captação desse açúcar pelas células. Para muitos indivíduos diabéticos, isso resulta numa significativa redução de medicamentos.

Qualquer pessoa pode correr?

Sim. A corrida pode ser praticada por qualquer indivíduo, sem limite de idade, desde que o mesmo não apresente nenhuma contra-indicação para a prática. Para isso, antes de começar a correr é essencial que se faça um exame médico com o intuito de identificar possíveis doenças ou limitações físicas que o impeçam de correr.

Por onde começar?

Após o aval do médico e antes de dar início a pratica regular da corrida, é aconselhado que se procure a orientação de um profissional de educação física para realizar uma avaliação funcional e, em seguida, montar uma rotina de treino com base na atual condição física e nos objetivos que se pretende alcançar. Mas, se não há acesso a um profissional para fornecer orientações, aqui vão algumas dicas: escolha um local seguro e tranqüilo para correr; escolha o melhor horário dentro da sua rotina diária para permitir que o organismo se acostume à atividade; vista roupas leves e confortáveis; escolha o calçado mais adequado para corrida e ao seu tipo de pisada; controle a alimentação ingerindo alimentos com baixo valor calórico, evitando açúcar e gorduras, hidrate-se antes, durante e depois da atividade e prepare a musculatura para suportar os esforços aos quais será submetido durante a corrida, praticando exercícios de fortalecimento e alongamento dos músculos envolvidos.

Como começar?

Sair correndo logo de início pode acabar sendo desmotivante, pois o seu corpo pode ainda não estar preparado para tal esforço. Por isso, o treinamento deve começar com caminhadas leves a moderadas, para acostumar seus músculos e articulações ao exercício. Com o tempo essas caminhadas irão sofrer natural aumento no ritmo das passadas, até que depois de um tempo chegarão ao trote. A partir daí, você pode intercalar, caminhadas e trotes, diminuindo gradativamente o tempo de descanso (caminhada) e aumentando o tempo de corrida, até que você consiga correr sem parar durante alguns minutos.

O que é melhor, correr num ritmo elevado ou lento?

Isso dependerá do nível de aptidão do executante, ou seja, o que é possível para ele e qual é o objetivo com a corrida, uma vez que os objetivos podem ser os mais variados, como diminuição do peso corporal e percentual de gordura (emagrecimento), melhora da circulação sangüínea, diminuição da freqüência cardíaca em repouso e em atividade, diminuição da pressão arterial, dentre outros. Porém, se o objetivo é queimar calorias, a resposta para essa pergunta é indiferente, pois nesse caso o mais importante é a distância percorrida. Ou seja, para uma determinada distância, por exemplo, 5 km, o consumo de energia é mais ou menos o mesmo em uma velocidade alta ou num ritmo mais lento, isto porque devagar o gasto calórico é menor, mas o tempo utilizado para chegar ao final é maior. Sendo assim, o consumo de energia (queima de calorias) acaba sendo similar ao da atividade realizada com maior intensidade.

Qual a melhor forma de encontrar motivação para correr?

A primeira e maior motivação de todas para começar a correr é tomar a consciência de todos os benefícios que a atividade pode trazer; a segunda é procurar uma assessoria esportiva para aderir a uma equipe de treino. Treinar corrida acompanhado, com certeza é muito mais estimulante do que seguir planos de exercícios sozinho, pois além de formar novos ciclos de amizade, você é reavaliado constantemente podendo perceber sua evolução, além de ser estimulado e orientado para participar, sempre que houver interesse, das diversas provas de corrida oferecidas nos dias de hoje.

sábado, 3 de março de 2012

Largue o cigarro correndo

O dia de 31 de maio foi escolhido pela OMS – Organização Mundial de Saúde – como o 'Dia Mundial de Combate ao Tabagismo'.




Não é um dia de festa, mas sim de alerta!

Apesar das fotos chocantes estampadas nos maços de cigarro e campanhas contra o tabagismo, cada vez mais principalmente os jovens têm adotado esse vício.

Dizer que fumar é um hábito: - só para fumante.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima-se que o cigarro mata 3 milhões de pessoas no mundo anualmente.

No Brasil, 10 pessoas morrem por hora por causa do cigarro (80 mil por ano).

O fumo é responsável por 30% das mortes por câncer e 90% das mortes por câncer do pulmão.

Cigarro light

Quando cigarros industrializados ou de fumo-de-rolo, cachimbos e charutos são acesos, algumas substâncias são inaladas pelo fumante e outras se difundem pelo ambiente. Todas as formas de uso do tabaco, inclusive os cigarros com mentol, filtros especiais, com baixos teores, têm uma composição semelhante, não havendo, portanto, cigarros 'saudáveis' ou cachimbos e charutos que façam menos mal.

Fumaça do cigarro

A fumaça do cigarro contém ciliotoxinas (e mais de 5 mil elementos diferentes) que produzem irritação dos olhos, nariz e garganta.

A nicotina é considerada droga pela OMS, aumenta a freqüência cardíaca e com o monóxido de carbono leva à arterosclerose, doenças cardiovasculares, úlcera gástrica e enfisema pulmonar.

Crianças fumam por tabela

Fumantes passivos morrem duas vezes mais por câncer de pulmão do que as pessoas não submetidas à poluição tabágica ambiental. As crianças, principalmente as de baixa idade, são prejudicadas em sua convivência involuntária.

Benefícios imediatos

- Após 8 horas sem fumar, o nível de oxigenação na circulação sangüínea começa a se equilibrar.

- Depois de 24 horas, diminui o risco de um ataque cardíaco.

- 72 horas após ter parado de fumar, a capacidade pulmonar aumenta em até 30%.

- Deixar de fumar só depende de você.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...