sexta-feira, 31 de agosto de 2012

1° Setembro Dia do Professor de Educação Física.

Parabéns a todos os profissionais de educação física que com muito empenho e dedicação contribuem para a educação e melhoria da qualidade de vida das pessoas. 





As atividades esportivas fazem bem para o homem, pois através delas é possível obter equilíbrio físico e emocional. Além disso, são formas de envolver jovens e crianças, afastando-os das drogas e da promiscuidade.

Para se praticar esportes é necessário que um profissional da área da educação física faça uma orientação e avaliação, de acordo com as capacidades de cada um, dos limites que o corpo de cada pessoa pode suportar e vencer.
A comemoração do dia do professor de educação física acontece no dia 1º de setembro, em razão de a profissão ter sido regulamentada através da lei federal de número 9.696/98 e publicada na mesma data.
A ideia da data surgiu na comemoração de São Cosme e São Damião, pois nesse dia os professores de educação física organizavam brincadeiras para divertir a garotada, entregando-lhes várias guloseimas e doces.
Quatrocentos e cinquenta anos antes de Cristo, o grego Miron criou o símbolo das práticas esportivas, o Discóbolo, um arremessador de disco; o que comprova que os esportes existiam desde os tempos mais antigos.
No Brasil, historicamente falando, consideram que desde o período da colonização a educação física era praticada em nossas terras.
Os índios corriam atrás de suas caças, nadavam, atiravam arco e flecha e dançavam, jogavam peteca, lutavam entre si e brincavam de corrida dos troncos. Já os negros africanos, que vieram como escravos para o Brasil, dançavam a capoeira e faziam as lutas corporais, aprendidas através da observação dos animais em seu país de origem.
Mas somente em 1851, através da lei nº 630, que a ginástica foi incluída nos currículos das escolas primárias e secundárias, onde eram praticadas quatro vezes por semana.
Na década de oitenta, após o período da ditadura militar, a prática de esportes passou a ser vista de forma mais ampla, formando-se os primeiros grupos profissionais. Para isso, eram necessárias empresas que patrocinassem os atletas e a manutenção dos times e equipes. Foram os primeiros passos para iniciar as formações esportivas de qualidade no país, de onde colhemos os frutos plantados por longos anos, obtendo grandes conquistas para o país em campeonatos mundiais.
O campo de trabalho dos profissionais de educação física cresceu bastante nos últimos anos, deixaram de ser apenas professores de escolas ou academias, estendendo seu campo de atuação.
Hoje trabalham como “personal trainers”, desenvolvem programas de emagrecimento para crianças e adultos, organizam trabalhos de acréscimo muscular, que são muito valorizados em razão da população cultuar o aspecto físico, estar mais vaidosa, buscando um corpo belo, cheio de formas e músculos aparentes.
Os professores de educação física são responsáveis por observar um aluno durante a prática de exercícios físicos, os orientam a fazer alongamentos para aquecer a musculatura e evitar que se machuquem, corrige a postura durante a realização dos exercícios, confere os batimentos cardíacos dos atletas, verifica a respiração e o cansaço dos mesmos, não permitindo que ultrapassem seus limites.
O melhor para esses profissionais é trabalhar com o aspecto lúdico, ajudando as pessoas a liberarem suas tensões e se tornarem mais felizes.


quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Frases do esporte Mundial : Arthur Zanetti




"Na hora eu não penso no meu adversário chinês ( tetracampeão mundial) Só penso em mim mesmo em fazer uma boa prova e saber que sai da competição satisfeito por ter dado o máximo" 

Corrida de Rua: Adaptação ao meio urbano.



Corrida de Rua ou Pedestrianismo é uma modalidade esportiva que tem atraído cada vez mais adeptos em nosso país. Por ser uma habilidade física que aprendemos durante nossa infância, qualquer indivíduo, desde que acompanhado por um profissional capacitado, poderá usufruir de todos os benefícios que a modalidade proporciona.
A corrida pode ser praticada em diversos ambientes, como: parques, trilhas, condomínios, estádios, ruas e avenidas e em qualquer meio que tenha solo e espaço para locomoção, esta é uma vantagem desta modalidade, mas para isso, o praticante deverá tomar alguns cuidados para uma prática segura e com qualidade.
A adaptação do praticante ao meio urbano é muito importante e deve ser implantada desde o início de qualquer preparação. Como já sugere o nome ‘’ Corrida de Rua’’, a grande maioria dos adeptos prefere as ruas e avenidas para seus. Deve ficar evidente que há um grande risco ao utilizar a via pública, por conta do grande tráfego de veículos, por isso, fiquem sempre atentos.
A seguir, dou algumas dicas para que você e seus parceiros de corrida possam se divertir e desenvolver suas habilidades.
  1. Corra sempre no sentido contrário ao dos veículos. Desta forma, sobre qualquer hipótese, o esportista tem a visão e a ação para qualquer movimento que poderá prejudicá-lo. Não dependendo da ação de terceiros.

  1.  Toda travessia deverá ser feita em movimento. Em hipótese alguma o corredor deve parar bruscamente seu exercício. Ao deparar-se com um cruzamento, o atleta deve manter o mesmo ritmo para que não haja uma queda brusca em sua atividade cardíaca.

  1.  O ideal é que o corredor, ao chegar a um cruzamento, mantenha seu ritmo. Como estará na contramão, deverá fazer a curva para esquerda e seguir na via até que ela seja liberada. Após a travessia, o corredor deverá voltar para sua direção e sentido pré-programado.

Desta forma, o percurso pré-programado ficará mais longo, porém, os riscos, tanto coronariano quanto de algum acidente serão amenizados.
Para que a prática seja realizada com maior qualidade, vale ressaltar que antes de qualquer exercício físico é importante que o indivíduo faça um aquecimento e no término da atividade faça um desaquecimento. Com dicas simples como a 1, 2 e 3  você aprimorará seus exercícios em qualidade e rendimento, alcançando, desta forma, melhores resultados.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Jogos Paraolímpicos de Londres 2012.





Pôster dos Jogos Paraolímpicos de Verão - Londres 2012



Os Jogos Paraolímpicos de Verão de Londres 2012 (Jogos da XIV Paraolimpíada) serão realizados em Londres, Inglaterra, Reino Unido, entre 29 de agosto a 9 de setembro de 2012. 

O que são as Paraolimpíadas (Jogos Paraolímpicos)?


Os primeiros Jogos Paraolímpicos (Paraolimpíada) foram realizados em 1960 em Roma. Da mesma forma que o Parapan é a versão dos Jogos Pan-Americanos para atletas com deficiências físicas, visuais ou mentais, os Jogos Paraolímpicos é a versão dos Jogos Pan-Americanos para atletas com essas deficiências.
Organizada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), esta primeira edição teve competições dos seguintes esportes: esgrima, basquete, atletismo, tênis de mesa e arco-e-flecha. 
Na última edição, que ocorreu na cidade de Pequim em 2008, cerca de 4 mil atletas participaram. A China ficou em primeiro lugar no quadro de medalhas (89 de ouro, 70 de prata e 52 de bronze).









Data da cerimônia de Abertura dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012

29 de agosto de 2012

Data da cerimônia de Encerramento dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012

9 de setembro de 2012

Abertura oficial dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012
-

Juramento do Atleta dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012
-

Entrada da Tocha Olímpica nos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012
-

Local da abertura oficial dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012

Estádio Olímpico de Londres (Olympic Stadium).


Países participantes dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012


A confirmar. Na última Paraolimpíadas estiveram presentes: África do Sul | Alemanha | Argélia | Argentina | Austrália | Áustria | Azerbaijão | Bélgica | Bósnia e Herzegovina | Botsuana | Brasil | Bulgária | Camboja | Canadá | Chile | China | Cingapura | Coreia do Sul | Croácia | Cuba | Dinamarca | Emirados Árabes Unidos | Eslováquia | Eslovênia | Espanha | Estados Unidos | Estônia | Fiji | Filipinas | Finlândia | França | Grã-Bretanha | Grécia | Hong Kong | Hungria | Indonésia | Irã | Iraque | Irlanda | Israel | Itália | Jordânia | Letônia | Lituânia | Macedônia | Malásia | Madagascar | Malta | México | Marrocos | Myanmar | Nova Zelândia | Noruega | Países Baixos (Holanda) | Papua-Nova Guiné | Peru | Polônia | Porto Rico | Portugal | Quênia | Ruanda | Sérvia | Suécia | Suíça | Taipé Chinês | Tanzânia | Tailândia | Timor-Leste | Tunísia | Turquia | Ucrânia | Uruguai | Vietnã | Zâmbia | Zimbábue

Países estreantes dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012 - a ser confirmado.

Eventos que serão disputados nos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012

esportes

Modalidades esportivas  nos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012

Atletismo 
- Basquete em cadeira de rodas
- Bocha
Ciclismo 
- Esgrima em cadeira de rodas
- Futebol de 5 jogadores
- Futebol de 7 jogadores
- Goalball (para portadores de deficiência visual)
- Levantamento de peso
- Hipismo 
Judô 
- Natação 
- Remo 
- Rugbi em cadeira de rodas 
- Tênis em cadeira de rodas
- Tênis de Mesa 
- Tiro 
- Tiro com arco
- Vela
Voleibol



Mascote dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012



Wenlock e Mandeville - Mascotes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Londres 2012




Locais das provas dos Jogos Paraolímpicos de Londres 2012


A maioria dos eventos dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Londres 2012 serão disputados na capital do Reino Unido. Alguns outros eventos exigem instalações localizadas em outros lugares.

Local de competição - Esporte - Capacidade - Local 
• London Aquatics Centre 
• Basketball Arena 
• 10,000 (PG) 
• BMX Circuit 
• Eton Manor 
• Copper Box 
• London Velodrome 
• Riverbank Arena 
• Olympic Stadium 
• Water Polo Arena 
• ExCeL 
• Greenwich Park 
• North Greenwich Arena (The O2 arena) 
• 18,000 (PG) 
• Royal Artillery Barracks 
• All England Lawn Tennis and Croquet Club 
• Earls Court Exhibition Centre 
• Horse Guards Parade 
• Hyde Park 
• Lord's Cricket Ground 
• Marathon Course 
• Regent's Park 
• Wembley Arena 
• Wembley Stadium 
• Brands Hatch 
• Dorney Lake 
• Hadleigh Farm 
• Lee Valley White Water Centre 
• Weymouth and Portland National Sailing Academy 
• City of Coventry Stadium (Ricoh Arena) (Coventry) 
• Hampden Park (Glasgow) 
• Millennium Stadium (Cardiff) 
• Old Trafford (Manchester) 
• St James' Park (Sports Direct Arena) (Newcastle upon Tyne) 

Paraolimpíadas de Verão - Jogos Paraolímpicos de Verão


Ano - Cidade - País
1960 - Roma - Itália
1964 - Tóquio - Japão
1968 - Tel Aviv - Israel
1972 - Heidelberg - Alemanha Ocidental
1976 - Toronto - Canadá
1980 - Arnhem - Holanda
1984 - Stoke Mandeville e Nova York - Reino Unido e EUA
1988 - Seul - Coreia do Sul
1992 - Barcelona - Espanha
1996 - Atlanta - Estados Unidos
2000 - Sydney - Austrália
2004 - Atenas - Grécia
2008 - Pequim - China
2012 - Londres - Reino Unido
2016 - Rio de Janeiro - Brasil




        Participação e desempenho do Brasil nas Paraolimpíadas de Pequim 2008:

                                   Brasil nas Paralímpiadas 2012
Brasil nas Paralímpiadas 2012


- Nas Paraolimpíadas de Pequim, em 2008, os atletas brasileiros fizeram bonito e conquistaram 16 medalhas de ouro (8 na natação, 4 no atletismo, 1 no judô e 1 no futebol de 5 e 2 na bocha), 14 de prata (4 no atletismo, 7 na natação, 2 no judô e 1 no tênis de mesa) e 17 de bronze (7 no atletismo, 4 na natação e 2 no judô, 1 na bocha, 2 na equitação e 1 no remo). Nosso país ficou em 9º lugar no quadro de medalhas.

                          

 ORGULHO DE SER BRASILEIRO ! FORÇA BRASIL !                                  

                                  PROF. ESP. RODRIGO FARIA 

Aclimatação brasileira para as Paraolimpíadas de Londres será em Manchester.



De olho na preparação dos atletas para os Jogos Paraolímpicos de 2012, em Londres, na Inglaterra, o Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB) definiu o local onde as delegações ficarão hospedadas antes dos Jogos para a aclimatação. A cidade escolhida em conjunto com os coordenadores técnicos de 17 diferentes modalidades foi Manchester, que fica a cerca de 340 km da capital inglesa.
É a primeira vez que quase todas as modalidades realizarão a aclimatação no país-sede antes dos Jogos, o que indica o crescimento do investimento paraolímpico no país. Representantes técnicos de quase todos os esportes, inclusive, já foram, a convite do CPB, conhecer as instalações do local escolhido. E o técnico doJudô, Jaime Roberto Bragança, cita os pontos positivos dessa preparação e a importância para um bom desempenho.
- É uma boa oportunidade para (os atletas) já entrarem no ritmo dos Jogos, concentrar os atletas, acostumá-los com o fuso, com o clima e tirar a ansiedade fazendo com que fiquem mais focados nos objetivos a serem alcançados - analisou.
A ideia do CPB é proporcionar aos atletas uma estrutura perto da que eles vão encontrar em Londres. O técnico da Seleção Brasileira de Futebol de 5, Ramon Pereira, com propriedade de quem visitou o local início do mês, considera essencial a iniciativa e projeta a conquista de bons resultados.
- A estrutura que nos ofereceram em Manchester é maravilhosa e nos deu a ideia do que vai ser em Londres - diz o técnico, ponderando uma alteração:
- A única coisa que me incomodou foi a alimentação. A cultura do país é de se alimentar melhor na parte da manhã, e o brasileiro não está acostumado com isso - concluiu.
O CPB, inclusive, se antecipou diante de qualquer tipo de preocupação dos técnicos e levará os chefes de cozinha daqui do Brasil para ajudar na alimentação dos atletas nos Jogos.
O coordenador técnico da Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV), Jonas Freire, exalta o momento especial dessa aclimatação.
- Primeiramente que esse é um momento único para organização técnica do esporte paraolímpico brasileiro, e principalmente a importância de levar os coordenadores técnicos (ao local da aclimatação) para que eles saibam a logística para passar aos atletas e para os outros técnicos.
O presidente da Confederação Brasileira de Desportos de Deficiente Visuais (CBDV), Sandro Laina Soares, explica qual é a intenção do CPB.
- A aclimatação é essencial para os atletas. É nesse instante que acontece a adaptação do organismo em relação à comida, à temperatura e também se inicia outro momento, outro patamar de concentração. Os atletas sempre sentem falta disso. A delegação brasileira vai ganhar muito com esta oportunidade que o CPB está propiciando. O Brasil deve chegar ainda mais forte para as competições em Londres, já que terá ficado para trás todo o processo inicial de adaptação – diz o presidente.
Serão nove dias de preparação em Manchester antes do início da abertura das Paraolimpíadas. Após o período, os atletas seguem para a vila paraolímpica.

sábado, 25 de agosto de 2012

Esteira absorve três vezes mais o impacto da corrida.




Os exercícios realizados na esteira podem apresentar resultados bem distintos, bastam algumas alterações pequenas na maneira de realizá-los. Existem recursos para ajustar velocidade e inclinação, além dos treinos pré-programados. O uso correto de cada mecanismo permite queimar gordura, ganhar músculos e aperfeiçoar o condicionamento físico.
O equipamento é prático. Faça chuva, faça sol, ele vai estar sempre ali na academia, no espaço comum do prédio ou na garagem de casa. O risco é bem menor de perder o treino por fatores externos. “Em compensação, é mais fácil o aluno ficar entediado porque não muda o cenário, não sai do lugar”.
Especialista em treinos indoor e de rua, o educador físico conhece bem as vantagens e desvantagens de cada modalidade. “A esteira é boa para amortecer o impacto do exercício, que chega a ser três vezes menor”, compara. Isso graças ao sistema de amortecimento dos rolamentos. “É mais confortável correr na esteira”.

Outra vantagem da esteira é o controle maior sobre o exercício. É mais fácil monitorar fatores importantes como frequência cardíaca, ritmo e tempo do exercício. “Também é mais simples corrigir a postura do aluno e eliminar vícios de corrida”. Mas é preciso ter cuidado com alguns vícios específicos do exercício no equipamento.
“Quando o aluno cansa, ele geralmente se apoia nos suportes da esteira. O problema é que isso interfere nos movimentos do quadril”, alerta o educador físico. A inclinação do tronco, por vezes justificada pela necessidade de olhar o painel da esteira, também compromete a postura.
Na rua, o esforço do corredor tende a ser maior. Ele vai enfrentar mais variações de inclinação, precisará estar mais preparado para lidar com o impacto do exercício e vai sofrer até com a resistência do ar.   “O risco de lesão é maior”.
Maratonista
Se o objetivo do corredor é se tornar um maratonista, não se deve excluir a rua dos treinos. Mas também não precisa se exercitar apenas nela. Os treinos na esteira podem a ajudar no ganho de condicionamento físico. Isso é feito com exercícios de explosão, os tiros, nos quais o aluno alterna velocidade moderada e alta.
Nestas situações, muitos programas padrões das esteiras servem como base do treino. O ideal é manter um ritmo pesado. Fazer pelo menos 30 minutos de treino em dias alternados para que haja recuperação do organismo.
“O exercício é um estresse controlado, com recuperação adequada”.
As variações de intensidade aperfeiçoam a potência aeróbia do corredor, com benefícios para coração, músculos e pulmões. A contrapartida disso é que o corredor perderá menos gordura, pois a fonte de energia será compartilhada com o glicogênio (carboidratos).
Um dos referenciais para garantir que o exercício esteja realmente produzindo o efeito desejado está na frequência cardíaca. Ela deve estar entre 80% e 85%. Este referencial varia de acordo com a idade e pode ser calculado de maneira simples, com a seguinte fórmula:
(220 – idade) x 0,80 = mínima
(220 – idade) x 0,85 = máxima

Mas o modelo padrão pode não refletir com precisão as particularidade de cada pessoa, de cada organismo. Até porque o próprio treinamento constante pode resultar em variações no condicionamento. Portanto, Meira de Melo recomenda um teste ergométrico, no qual a pessoa será levada do repouso à exaustão. “Assim é possível verificar sua frequência cardíaca máxima”, esclarece.
Melhor ainda se a pessoa puder fazer um exame mais específico, o ergoespirométrico. Ele apontará o ponto de transição entre os metabolismos aeróbio e anaeróbio. É neste momento em que o organismo tem o melhor aproveitamento do condicionamento físico. Contudo, a queima de gordura é menor.
Para emagrecer
Se o objetivo do corredor é entrar em forma, os treinadores recomendam um exercício constante na esteira com intensidade menor. A frequência cardíaca deve ser menor também, variando entre 65% e 75%. Para simplificar, o professor da UnG ensina um truque.
“Se a pessoa consegue conversar, porque não está ofegante, está queimando mais gordura.”

“O ritmo constante é mais eficaz para mobilização de gorduras”, resume o especialista. Ele conta ainda que o treino traz benefícios para a capilarização muscular (ganho de vasos sanguíneos), estrutura que pode ser útil, por exemplo, para treinos de musculação.
O ritmo, embora constante, pode ter a velocidade aumentada conforme a pessoa vai ganhando condicionamento físico. Basta acompanhar as respostas do organismo pelo monitor de frequência cardíaca, instrumento presente até nas esteiras mais básicas.
Para ganhar músculos
O recurso da inclinação, embora não presente em todas as esteiras, proporciona benefícios interessantes. Ele aumenta o esforço e varia a requisição dos músculos. “Quem corre apenas com a esteira plana acaba sofrendo um enfraquecimento da tibial anterior (musculatura na frente do tornozelo)”. Mas isso pode ser contornado com inclinação positiva da esteira, simulando uma subida.
“O esforço é maior na esteira inclinado, o que traz um benefício maior ao músculo”. Contudo, o ganho de massa magra não chega a ser tão expressivo quanto no obtido em treinos de musculação.

Mesmo assim, o trabalho muscular pode ser importante para aumentar a resistência aos exercícios na esteira, necessária tanto para treinos de resistência (perda de peso) quanto de explosão (aumento de condicionamento).
Seja qual for o tipo de treino, o professor Meire de Melo recomenda fazê-lo ao menos duas vezes por semana para haver resultados mais consistentes. Os treinos também devem ser em dias alternados para permitir ao músculo e às articulações se recuperarem. O ideal é haver acompanhamento de algum educador físico, além de um check-up anterior para verificar as condições de saúde.






Correr em ambientes “verdes” contribui para o bem-estar físico e mental.



Em uma pesquisa com mais de 3.500 pessoas realizada pela Husqvarna, uma multinacional sueca, chegou-se à conclusão de que quem tem acesso a parques e áreas verdes bem arborizadas está menos propenso ao estresse ou depressão, e essas pessoas se sentem mais dispostas a praticar exercícios.

        o estudo, realizado em sete países, 87% dos participantes disseram que um ambiente com    árvores e plantas as influenciaria positivamente. O bem-estar psicológico com a sensação de conforto, paz e relaxamento de estar em um parque em meio à natureza, por exemplo, pode influenciar no desempenho, e funcionar como estímulo para que a pessoa dê continuidade aos seus treinamentos, afinal a saúde mental é tão importante quanto a saúde física.


Mega Rampa agita o Rio de Janeiro !


Entre os dias 25 e 26 de agosto a maior rampa do mundo para prática de esportes radicais será montada pela primeira vez Rio de Janeiro. Na Praça da Apoteose, Bob Burnquist, alguns dos melhores skatistas do mundo e atletas de BMX vão enfrentar o desafio de 30 metros de altura por 100 de comprimento.
Rio de Janeiro (RJ) - A MegaRampa é carioca. Depois de três anos em São Paulo, a competição mais radical do skate e BMX será no Rio de Janeiro. Abençoada pelo Cristo Redentor, a estrutura para a competição será montada na Praça da Apoteose, no Centro. Nos dias 25 e 26 de agosto, a TNT apresenta a Megarampa, que reunirá alguns dos maiores skatistas do mundo e destaques do BMX. Bob Burnquist, tricampeão da competição, encabeça a lista de skatistas, que em breve terá outros nomes confirmados.



Rio de Janeiro (RJ) - A Megarampa é carioca. Depois de três anos em São Paulo, a competição mais radical do skate e BMX será no Rio de Janeiro. Abençoada pelo Cristo Redentor, a estrutura para a competição será montada na Praça da Apoteose, no Centro. Nos dias 25 e 26 de agosto, a TNT apresenta a Megarampa, que reunirá alguns dos maiores skatistas do mundo e destaques do BMX. Bob Burnquist, tricampeão da competição, encabeça a lista de skatistas, que em breve terá outros nomes confirmados.
A estrutura, a única montada no Hemisfério Sul, terá 112 metros de comprimento e altura de um prédio de nove andares. A prova consiste em descer em alta velocidade uma rampa de 30 metros de altura, saltar por um vão livre de 20 metros, aterrissar em outra rampa e fazer manobras aéreas. Em sua quarta edição, a Megarampa tem Bob Burnquist como tricampeão e já foi assistida por mais de 50 mil pessoas. A Megarampa 2012 terá transmissão ao vivo da TV Globo, dentro do Esporte Espetacular.
A TNT apresenta a Megarampa 2012, que tem patrocínio de Maresia, Redecard, Biscoitos BreakUP e do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Lorenzetti, Yamaha, Metrô Rio, URGH, Estácio de Sá e RioTur apoiam o evento. A realização é da CBSK, IMX, ZooBamboo do Brasil e MRE. A supervisão técnica é da Confederação Brasileira de Skate (CBSk). Este projeto foi viabilizado pelo Governo Federal por meio da Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério dos Esportes. Curta a nossa página no Facebook e visite o nosso site www.facebook.com/Megarampabrasil e www.megarampa.com.br.


SOBRE A MEGARAMPA

A Megarampa terá a sua quarta edição no Brasil e foi de Bob Burnquist a iniciativa de trazer a modalidade ao país. Um dos maiores nomes do skate brasileiro, Bob Burnquist é também o maior vencedor da competição brasileira. não teve para ninguém: ele venceu as três edições realizadas. Em 2008, o carioca radicado em San Diego, nos Estados Unidos, foi ovacionado pelos espectadores a cada descida, encaixou suas tradicionais manobras e venceu, somando 178 pontos. Jake Brown foi o segundo colocado, seguido por Andy MacDonald, Buster Halterman, Rob Lorifice e Adam Taylor. No ano seguinte, outro show de Bob Burnquist, com Jake Brown novamente na segunda posição. Adam Taylor, Rob Lorifice, Pedro Barros e Pierre Luc-Gagnon completaram os seis primeiros lugares. Ano passado, Bob Burnquist confirmou novamente o favoritismo e venceu. A surpresa do evento foi o americano Mitchie Brusco que, com apenas 14 anos,levou o vice-campeonato. Adam Taylor terminou em terceiro, com Edgard "Vovô" Pereira em quarto, seguido por Rony Gomes.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Tempo seco é o maior inimigo dos corredores de rua.

Além de doenças infecciosas, atletas amadores correm sérios riscos de desidratação.



Que correr no inverno é bem diferente do que correr no verão, todo mundo sabe. Mas o que tá rolando essas semanas aqui em São Paulo e por toda região Sudeste e Centro Oeste do país é uma secura que nem todo mundo tá acostumado. Esse tempo super seco é péssimo para os nossos treinos. Vamos combinar, o Brasil não é um país tão seco assim (tirando o centro do Nordeste e alguns pedacinhos do Centro-Oeste). O povo aqui tá acostumado a correr debaixo de chuva, dias nublados, dias bem quentes com pancadas de chuva… Mas essa secura toda atrapalha bem os nossos treinos!!!
O desempenho cai, a pele fica ressecada, o cabelo fica oleoso, a respiração fica mais difícil… a gente termina o treino em um estado deplorável: sujos (por causa da poluição) e bem mais cansado que o tradicional. É aí que entra o fator mais importante para mantermos o pique: Hidratação.
A hidratação começa com a nossa alimentação. Frutas, Legumes, Verduras e Fibras são indispensáveis. Também temos que balancear as carnes vermelha com frango e peixes e massas (pães, macarrão). Leite e derivados são essenciais para completar essa dieta. Tendo uma alimentação saudável já é meio caminho andado para não perdermos desempenho na hora dos treinos.










Na hora da corrida, nunca esqueça a garrafinha d’água. É, eu sei, é chato pra caramba correr com a garrafa na mão. Atrapalha, pesa, incomoda… Mas como não temos ninguém nos hidratando de km em km, é super indicado correr carregando a própria garrafinha. Sempre que eu corro no parque, antes, paro nas lojas de conveniência e compro uma garrafinha d’água, mais fininha, que eu consiga fechar as mãos, como se tivesse correndo com um bastão. Pronto. Não terei que ficar parando pra procurar bebedouro. Além de água, também vale sucos e isotônico (nem preciso falar que hidrata pra caramba né?)
Dependendo do horário que você corre, se o sol já tiver dado as caras, é legal lembrar que o protetor solar é bem vindo. Vale também boné e viseira (pra mulherada)!! Não corra ao meio dia… o sol é muito forte!! Mas se você só tem esse tempo disponível pra treinar, opte por parques bem arborizados, percursos com sombras. Bem mais agradável e fresquinho!!



terça-feira, 21 de agosto de 2012

Trapaça genética no esporte será !



Pesquisadores suecos descobriram que alguns praticantes de Esporte têm condições de não serem flagrados em testes de urina anti-doping. 

Durante o estudo utilizou-se testosterona em 55 homens e aproximadamente 31% deles deram negativo no exame de urina. Segundo os estudiosos, esses indivíduos nasceram sem o Gene conversor de testosterona em substância presente na urina. 

Constatou-se também que 2/3 dos homens asiáticos e 1/10 dos homens brancos são agraciados por essa “benção” Genética. 


Esporte é Saúde?


                                         

Há muito tempo a relação entre os benefícios ou prejuízos promovidos pelo Esporte à Saúde são discutidos por especialistas e pelo público leigo.  Diversos argumentos apóiam a idéia do esporte promover saúde, outros afirmam o contrário. O objetivo desse artigo é definir alguns termos principais, que geralmente são os responsáveis diretos por essa discussão.
O esporte é a Atividade Física que envolve gasto energético considerável e que possui regras específicas. Em razão das regras e por ter a competição como base, o esporte necessita do máximo rendimento, por isso, os praticantes das diversas modalidades treinam exaustivamente para superar limites e ganharem as competições.
A atividade física envolve movimentos voluntários para atingir algum objetivo. O rendimento esportivo não é objetivo da atividade física, por isso, os limites a serem superados não exigem um treinamento excessivo de seu praticante.
Geralmente os efeitos maléficos promovidos pela atividade física ocorrem em atletas que treinam há muitos anos por longos e intensos períodos, o que não é a realidade da grande maioria da população. Com o maior período de treinamento as chances de lesões ósteo-musculares aumentam.
Para entender essa relação, podemos estabelecer uma analogia com o motorista de ônibus ou de taxi, que dirigem por muitos anos várias horas por dia. Para esses trabalhadores o risco de uma colisão ou acidente de trânsito é maior em comparação a pessoas que não exerce essa atividade como ofício.
Outro argumento contra a prática de atividade física é o índice de doenças em atletas e ex-atletas. Levando em consideração que os atletas são seres humanos, algumas enfermidades são inerentes a condição humana e outras são influenciadas pelo caráter genético e pessoal, ou seja, essas pessoas mesmo se exercessem outras profissões possivelmente sofreriam dos mesmos males.
A primeira conclusão é que não podemos comparar resultados e incidência de doenças ou lesões de atletas de alto rendimento com praticantes de esporte e/ou atividade física. Podemos concluir também que o esporte é um dos fatores que levam determinado indivíduo a obter bons ou maus resultados na saúde do atleta, tendo os fatores genéticos, sociais, econômicos e culturais como parte desse resultado.


                                             
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...