sábado, 31 de janeiro de 2015

Dica de hoje: Trekking

O termo trekking é empregado para esta atividade de migração, mudança, viagem, "carregar a casa". Na época, a palavra significava migrar com sofrimento. Mais tarde a expressão deixou de ser usada somente pelo povo que lhe deu origem e foi incluída no vocabulário inglês (britânico).







Na sua opinião, o preço cobrado na inscrição das provas é justo? Por que?

Foto: Na sua opinião, o preço cobrado na inscrição das provas é justo? Por que?

domingo, 25 de janeiro de 2015

Taubaté vence Campinas e conquista Copa do Brasil de Vôlei!



Taubaté vence Campinas e conquista Copa do Brasil de Vôlei!





Os taubateanos venceram a partida por 3 sets a 0; Com o título, o time do Vale do Paraíba conseguiu uma vaga no torneio Sul Americano
Taubaté
O ano só está no começo e o Taubaté Vôlei já colocou a mão na taça. Na noite deste sábado, os taubateanos foram até Campinas, venceram os donos da casa por 3 sets a 0 (17/25, 21/25, 20/25) e conquistaram o título da Copa do Brasil.
Este é o segundo título da equipe em menos de seis meses. Isso porque em outubro do ano passado, o Taubaté conquistou o título Paulista da modalidade. 

Com a conquista da Copa do Brasil, os taubateanos conseguiram uma vaga para o Sul-Americano que será disputado na Argentina. 

O jogo. O time do Taubaté não se intimidou com o ginásio lotado e a torcida campineira e dominou o primeiro set, com grande atuação de Lipe, Dante e Lorena.
No segundo set, o Campinas melhorou na partida. Porém, o Taubaté parecia estar mais organizado em quadra e conseguiu virar o resultado.
O terceiro e último set foi o mais nervoso, com muita reclamação com a arbitragem. Apesar dos nervos exaltados, Lipe continou com sua boa atuação e fez o último ponto da partida.


quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Pressão alta e baixa: o que fazer ao ver uma pessoa passando mal?

Durante uma atividade física, a pressão sanguínea sobe a níveis extremos e pode ser prejudicial para pessoas hipertensas ou hipotensas. Os sintomas das duas patologias são bem parecidos e podem ser confundidos facilmente, por isso atrever-se a prestar socorro pode ser uma má ideia.
De acordo com o fisiologista e professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Dr. Paulo Roberto Correia, o corpo humano trabalha sempre para se manter em equilíbrio. “Quando a pessoa corre, por exemplo, gera processos inflamatórios que o corpo irá curar. Além disso, depois que o problema foi resolvido, o organismo também irá deixar o local um pouco mais resistente para que a inflamação não volte a acontecer”, conta.

Portanto, por mais que os níveis de pressão sanguínea aumentem na hora da prova, um corpo saudável conseguirá se manter estável. “Por isso quem não está acostumado com a atividade física irá sofrer bem mais”, ressalta.
Segundo o médico, a pressão baixa já indica que algo está errado no organismo do corredor. “Hipotensão não é algo normal e não deve ser tratado desta forma. É necessário que um médico investigue as causas dessa ação do organismo”, indica.
O exame necessário para diagnosticar as oscilações de pressão e outras anomalias do sistema cardiovascular é o eletrocardiograma com esforço, em que a pessoa é monitorada enquanto é submetida a uma corrida na esteira.
Hipotenso - Os principais sintomas dos corredores com pressão baixa são enjôos, sonolência e tontura. “Os hipotensos não sofrem muito na hora do treino, mas sim no momento em que param de correr, pois a pressão sanguínea já é baixa e o corpo interpreta que existe pouco sangue na cabeça, por isso fará o indivíduo deitar”, explica o médico.
Apesar da sensação de fraqueza, muitas vezes seguida de desmaios, o resultado dos primeiros socorros vem rápido. “Colocar as pernas para cima e tomar um pouco de isotônico já é o suficiente para fazer com que a pessoa melhore”, discorre o professor.
Hipertenso - Lidar com corredores hipertensos é mais difícil e arriscado, pois a doença é tratada com remédios e pode causar problemas graves. “Pessoas já diagnosticadas, mas que não têm uma alimentação controlada e não tomam o medicamento adequadamente, não podem iniciar um treino sem avaliação médica. Ela corre o risco de enfartar ou ter um acidente vascular encefálico (AVE), muito comum, que ocorre quando veias que percorrem a cabeça se rompem devido ao fluxo sanguíneo”, enumera o fisiologista.
A diferença dos corredores com pressão alta para os com pressão baixa são as dores de cabeça, pressão nos olhos e a sensação de confusão mental. “A primeira coisa a fazer é levar a pessoa para o centro de atendimento médico, onde ela deverá ficar sentada e receber a medicação adequada”, ensina Paulo Roberto.
Antigamente fazia-se muito a sangria, ato de tirar sangue do corpo para diminuir os efeitos da pressão alta, prática que já não é necessária graças ao avanço da medicina. “Porém, caso o atleta esteja em uma prova de trilha, sem acesso à posto médico, e a hipertensão for confirmada, a sangria continua sendo um recurso, pois a pressão sanguínea pode gerar um problema sério”, completa o fisiologista.
Em ambos os casos, a indicação do médico é que a pessoa seja encaminhada imediatamente para o atendimento. “Esportistas que se alimentam mal no dia da corrida ou diabéticos podem sofrer com os mesmos sintomas. Por isso, atender alguém por conta própria para tentar ajudá-la pode prejudicar ainda mais a saúde do competidor”, finaliza.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Conheça os exames que ajudam a deixar seu coração em ordem



Hoje os métodos diagnósticos em cardiologia evoluíram e se multiplicaram, sendo que a população e até alguns médicos desconhecem como são realizados e suas indicações. Não raro o paciente evita determinados exames por um medo do desconhecido. Ou perde noites de sono após informações truncadas de amigos, vizinhos e outros "especialistas em desinformação". Aqui vou descrever como são realizados alguns exames mais comuns, bem como os riscos e indicações. Para qualquer exame, traga sempre copia de seus exames mais recentes, da receita médica e da solicitação do exame. 

Eletrocardiograma: A pessoa fica deitada em uma cama. São posicionados eletrodos (colados na pele com um tipo de adesivo ou com sucção). Geralmente um em cada membro e seis no tórax. Serve para avaliar a parte elétrica do coração, e algumas vezes isso fornece pistas sobre o formato do coração e algumas doenças. É possível ver o ritmo, frequência dos batimentos e o trajeto que o impulso elétrico faz dentro do coração. 

Ecocardiograma transtorácico: A pessoa fica deitada em uma cama, e pode ser solicitado que mude um pouco de posição durante o exame (deitado de lado, respirar fundo, etc). O aparelho de ultrassom (sim, é um ultrassom do coração!) encosta na pele e com isso é possível desenhar o órgão na tela do computador. Também é possível medir a velocidade do sangue, e como ele se movimenta através das válvulas. Outra utilidade é ver como o coração contrai e relaxa. Em resumo, é uma avaliação da anatomia do coração. 

Ecocardiograma transesofágico: Em princípio é igual ao Ecocardiograma trastorácico. Mas ele é feito através de um dispositivo que parece um aparelho de endoscopia. Esse "tubo" entra pela boca e vai até próximo do estômago. Serve para ver o coração mais de perto. Geralmente é usado para ver os átrios (uma parte do coração) em busca de coágulos de sangue. Costuma ser realizado sob sedação salvo situações excepcionais. Geralmente o paciente que internou para este exame recebe alta no mesmo dia após se recuperar da sedação. É necessário jejum de pelo menos 6 horas, mas depende de cada serviço. Recomenda-se levar acompanhante. 

Teste ergométrico: O teste de esforço pode ser realizado em esteira ou bicicleta. Serve para provocar o esforço físico máximo em um ambiente supervisionado, onde é possível medir a pressão arterial e ler o ECG durante todo o exame. É um dos mais antigos e sensíveis métodos para investigar arritmias induzidas pelo esforço e doença de coronárias, com baixo risco e grande aplicação prática. 

Cintilografia do miocárdio: Geralmente o paciente deve evitar certos alimentos (chocolate, café, chá, cafeína) e algumas medicações (checar com seu médico) pelo menos 48 horas antes do exame. É um exame onde o paciente recebe material radioativo especialmente tratado para aderir ao músculo do coração (miocárdio). Ele é injetado em repouso e durante esforço físico (O esforço pode ser com esteira, bicicleta ou com medicações), chegando ao coração através das coronárias. Assim, o material radioativo "pinta" as áreas com fluxo normal de sangue e deixa "não pintada" qualquer área onde o fluxo seja insuficiente. Assim podemos ver onde o miocárdio está em sofrimento (isquemia). Podemos ver se isso acontece só no esforço físico ou se acontece também sem fazer esforço. Costuma a durar pelo menos 6 horas, sugiro trazer acompanhante.  

Holter 24 horas: É um eletrocardiograma que dura 24horas. São colados eletrodos no tórax da pessoa, que por sua vez são conectados a uma caixa semelhante a um toca-fitas. A pessoa deve carregar essa caixa por 24 horas e devolve-la ao termino do exame. Deve manter a rotina do dia-a-dia, fazer as atividades que geralmente faz e se possível, reproduzir as ocasiões que provocam os sintomas. A idéia é fazer um eletrocardiograma durante o dia todo, em busca de arritmias. Tome banho antes do exame, pois ficará 24 horas com o aparelho sem poder retirá-lo. Anote minuciosamente no diário tudo que fizer durante o dia. 

MAPA: É um aparelho muito semelhante ao Holter, mas em vez de eletrocardiograma, ele mede a pressão arterial por 24 horas. Serve em especial para analisar pressão arterial que varia muito ao longo do dia. Também é importante manter a rotina o mais próximo do normal (trabalho e lazer). 

Cateterismo(Cineangiocoronariografia): O paciente fica deitado em uma sala especial. Os pêlos da região da virilha são raspados e a área em torno fica coberta por material estéril para evitar infecções. Pela artéria femural sobe um cateter (tubo muito fino) até o coração, e por ali é injetado contraste com iodo. O contraste vai "desenhar" as coronárias por dentro, e mostrar qualquer anormalidade no trajeto do sangue com uso de raios-X. O risco de complicações fica em torno de 1%. Pacientes devem trazer acompanhante para o exame. Pessoas com alergia a Iodo ou frutos do mar ou em uso de anticoagulantes devem avisar ao médico. Dura em torno de 1h, e o paciente recebe alta geralmente após 4 a 6 horas do final do exame.

Estudo Eletrofisiológico: Semelhante ao cateterismo, com cateteres diferentes e geralmente sem uso de contraste. Mas o objetivo deste exame é localizar e se necessário cauterizar focos de arritmia(através de ablação). Os riscos ficam em torno de 2%. A duração é variável, em torno de 2 a 3 h. Exames mais longos podem ser realizados com anestesia, mas geralmente sedação leve ou anestesia local são suficientes. Pacientes devem trazer acompanhante para o exame. O paciente geralmente recebe alta no dia seguinte ou menos frequentemente após 6 horas do fim do exame. 

Tomografia e ressonância do coração: São feitas da mesma forma que para outras partes do corpo. As máquinas são mais novas, com melhor definição. Permite avaliar coronárias , através de contraste com iodo e raios X (tomografia) ou forma do coração e função (tomografia e ressonância). A ressonância tem a vantagem de não usar iodo ou radiação, mas não permite objetos de metal próximo a ela (Marcapassos, próteses e outros), limitando seu uso a alguns pacientes. Como são métodos recentes, suas indicações são em casos bem específicos.  


FONTE: http://www.minhavida.com.br/





Gifs para lá de engraçados do esporte!

























gif fail na academia





























FOTO DO DIA!

7 manias que fazem você perder tempo na academia

Passar horas na academia com roupa inadequada, andando lentamente na esteira ou fazendo sempre o mesmo treino atrapalham o bom resultado da malhação.



Não é falta de ir à academia, nem de dedicação aos exercícios. Mas tem gente que não consegue resultados, por mais que se “esforce” na malhação.
É como “correr atrás do vento”, ou seja, gastar energia e tempo em treinos ineficientes ou com atitudes que não combinam exatamente com a boa forma.
Veja a seguir algumas das situações improdutivas na academia e dicas para melhorar seu treino.
1. Fazer musculação com grandes intervalos entre as séries 
A pessoa vai para a academia e segue a planilha “direitinho”. Acontece que, como também não abre mão de fazer “social”, entre uma série e outra ela conversa calmamente com o amigo, com o treinador, bebe água, se olha no espelho. Para que o treino funcione, é importante que se respeite os intervalos entre as séries de musculação. Em média os intervalos são de 30 a 45 segundos. 

2. Ficar na esteira por 1h30 na velocidade de 4km/hora 
Tem quem se ache o máximo fazendo 1h30 de caminhada. Só que no ritmo de 4km por hora, para conversar com o amigo na esteira ao lado, não dá... É importante usar um parâmetro como indicador da intensidade do esforço. O melhor e mais usado é o frequencímetro, que mede a frequência cardíaca (FC) durante o exercício. 

3. Fazer musculação e atividade aeróbica quando dá vontade 

Às vezes o indivíduo sai para correr às terças e quintas, às vezes faz musculação às quartas. Algumas semanas não faz nada. Em outras, faz tudo, todos os dias. É difícil ter bons resultados sem uma rotina de treinos, descanso e alimentação. Alguma rotina há que se ter.

4. Treinar todos os dias, mesmo exausto
A pessoa leva tão ao pé da letra a necessidade de atividade física que para ela a palavra descanso não existe no dicionário. Mesmo sem dormir direito ou doente, marca presença na academia. Quem não quer faltar de jeito nenhum, deve procurar atividades que promovam relaxamento, como alongamento e ioga. 

5. Tornar a musculação mais “fácil” 
Pegar leve no peso ou exercitar-se na postura errada, não sentindo esforço, é quase como não fazer nada. Para a musculação realmente funcionar, é preciso adequar as cargas de cada exercício e aumentar o peso de acordo com as adaptações geradas. 

6. Não variar o treino 
Todo dia, ele faz tudo sempre igual: 10 minutos de esteira, seis séries para membros superiores, seis séries para membros inferiores, sempre nos mesmos equipamentos, com os mesmos pesos. Assim, a evolução física tende a estagnar. É importante variar os estímulos de carga, intervalos, métodos e exercícios que trabalhem vários grupos musculares. 

7. Usar roupas inadequadas 
Acreditando que suar mais é sinônimo de emagrecer, a pessoa vai para a academia encapotada. Ou vai com uma roupa muito decotada, justa, que pode revelar mais do que deveria, provocando incômodo e mal-estar a ponto de não conseguir realizar o exercício direito. Nada disso. A roupa deve ser confortável e favorecer a ventilação, além de proteger do contato direto com aparelhos na musculação para evitar o surgimento de doenças de pele.



BONS TREINOS! 

    quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

    Como hidratar-se corretamente?

    Você sabia ?

    Uma desidratação imperceptível de 1% do peso do corpo, eliminado em água, diminui os desempenho musculares e físicos em 10%.

    Durante o treino ou a competição de running, uma boa hidratação é indispensável para evitar o surgimento de lesões, tendinites, cãibras, fadiga, hipertermia, distúrbios digestivos, diminuição do desempenho.

    A água é indispensável depois de qualquer esforço do corredor.



    1 – Eu tomo boa quantidade de água por dia

    O adulto perde cerca de 2,5 litros de água por dia. O objetivo será então de compensar suas perdas, no intuito de equilibrar o aporte hídrico. Normalmente, as três refeições diárias trazem um litro de água, o meio litro restante será obtido ao tomar água.

    Por ocasião de suas saídas de corrida, essas necessidades deverão ser aumentadas, em caso de temperatura ambiente elevada e uma atmosfera seca, sobretudo durante a atividade física.



    2 – Durante a corrida, nunca espere sentir sede para beber

    A sensação de sede não é um bom indicador do estado de hidratação corporal, pois ela aparece tardiamente. Ela se manifestará quando o esportista já estiver em estado de desidratação de pelo menos 1% do peso corporal. É preciso então trazer mais água do que a quantidade reclamada pelo organismo.

    Você sabia?: Uma perda de 2% do peso corporal em água pode diminuir o desempenho esportivo de 20%!!!



    3 – Me hidrato o suficiente

    No intuito de manter uma temperatura corporal próxima da normal, o organismo utiliza um sistema de resfriamento eficiente: a transpiração. Em média, as perdas associadas à transpiração estão entre 0,5 a 1 litro/ hora e podem chegar a até 3 litros e até mais nos praticantes de jogging treinados. De onde a importância de compensar a água perdida pelo suor, para evitar o risco de desidratação.

     

    4 – Me hidrato regularmente

    É preciso beber antes, durante e depois da atividade.
    • Antes da corrida, é preciso antecipar as perdas em água que ocorrerão durante o esforço,
    •  Durante a corrida, é preciso compensar as perdas em água, devido à transpiração
    • Depois da corrida, é preciso continuar a hidratação, para compensar as perdas inevitavelmente ocorridas e evitar um déficit em água que pode ser a origem das dores musculares.

    Para assegurar uma boa hidratação, durante suas saídas de running, é preciso tomar água a cada 10/ 15 minutos, cerca de 100 a 150 ml (1 a 2 goles). Não tome água muito fria, para não correr o risco de gerar problemas gástricos, a bebida deve estar fresca, mas não gelada. A temperatura deve situar-se nos arredores de 15°C.

    5 – Reconheço os sinais de uma desidratação

    Os primeiros sinais de uma desidratação são principalmente:
    • Sensação de sede,
    • Elevação da frequência cardíaca,
    • Diminuição da tensão arterial,
    • Queda de desempenho.
    Uma desidratação moderada será ressentida por fadiga e um cansaço.

    Uma desidratação severa será ressentida por uma sensação elevada de sede durante o esforço, pernas pesadas, falta de fôlego, dores musculares e dos tendões, entorses (…).

    Uma desidratação severa acarreta uma alteração do estado geral, podendo necessitar de aconselhamento médico urgente.


    Assim que um desses sinais aparecer, já é muito tarde para reagir, pois a capacidade de absorção do estômago é insuficiente para suprir rapidamente uma desidratação.



    Não esqueça de hidratar-se regularmente!

    domingo, 4 de janeiro de 2015

    Dica de hoje ! Coldplay - Miracles "Musica do Filme Unbroken"!


    O filme baseado em fatos e no livro homônimo de Laura Hillenbrand conta a história de Louis Zamperini  (Jack O'Connell), filho de imigrantes italianos  e corredor olímpico que, na Segunda Guerra Mundial, foi preso e torturado pelos japoneses. Em 1943, o avião em que estava o então segundo-tenente Zamperini caiu no Oceano Pacífico por falha mecânica. Depois de seis semanas no mar, ele foi resgatado pelos japoneses e mantido preso até o desfecho da guerra. Gareth Hedlund será o Comandante John Fitzgerald, prisioneiro de guerra e companheiro de Zamperini.
    No Brasil, o livro foi publicado pela editora Objetiva e recebeu o título de Invencível - Uma história de Sobrevivência, Resistência e Redenção.  Joel e Ethan Coen assinam a última versão do roteiro, que já passou pelas mãos de William Nicholson (Os Miseráveis) e Richard LaGravenese (P.S. Eu Te Amo).
    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...