domingo, 22 de novembro de 2015

Corrida e qualidade de vida!

Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.

Desde a Grécia antiga, as primeiras competições se resumiam basicamente às corridas; este fato ilustra a importância dada á modalidade pelos atletas e treinadores da época, sabedores do seu valor na formação de um corpo forte, resistente e bem proporcionado esteticamente, haja visto a perfeição em todos os planos ser uma busca constante daquela civilização (Cogo, 2009).
Segundo Rodrigues (2013) o ato de andar, pedalar, nadar, dançar, correr em velocidade moderada são exemplos de atividades aeróbias que por sua vez estimulam os pulmões, o coração, a circulação, para levar o oxigênio aos músculos,desde sejam realizados com movimentos não muito rápidos. Esta categoria de exercício é a que traz mais benefícios ao organismo, diminuindo a chance de doenças cardiovasculares e melhorando qualidade e expectativa de vida, pois somente os exercícios aeróbios de longa duração utilizam as reservas de gordura do corpo humano como fonte de energia.
Após vários testes e estudos comparativos, verificou-se, à época de Cooper, que a corrida era a atividade onde ficavam mais evidenciadas as adaptações provocadas pelo treinamento aeróbio; além disso, devido à praticidade e simplicidade que a modalidade oferece, é a ideal para ser praticada por todos, cada um segundo seu nível de condicionamento.
Seu método chegou ao Brasil na década de 70, e a associação do seu nome às corridas foi tanta que, naquela época, corrida era sinônimo de Cooper, no sentido literal da palavra: as pistas de corrida nos parques eram chamadas de “Pistas de Cooper”.
Cooper (1983, apud, Cogo, 2009) enfatiza que o nosso organismo necessita regularmente, para seu desenvolvimento, de exercícios e que estes não são apenas úteis para satisfazer a vaidade da aparência física, mas, principalmente, contribuem de modo decisivo para a manutenção da saúde e para o prolongamento da vida útil.
Conforme Machado (2009, apud Cogo, 2009) boa parte da população tem uma variedade de tarefas complexas, envolvendo raciocínio e criatividade, o que, conseqüentemente, acarreta uma diminuição do gasto energético e o surgimento de doenças crônico-degenerativas, ao contrário da sociedade antiga, onde o ser humano tinha como atividades diárias a corrida e a caminhada.
Bons treinos!

sábado, 21 de novembro de 2015

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Frase do dia!

Durante o verão muitas pessoas praticam desporto e surgem lesões que requerem tratamentos específicos.

Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.
Cada lesão desportiva requer uma abordagem diferente!
Durante o verão muitas pessoas praticam desporto e surgem lesões que requerem tratamentos específicos.
A prática de uma modalidade desportiva, arte marcial ou de exercício físico implica o aumento da atividade do aparelho locomotor. Músculos, tendões, ligamentos articulações e ossos (unidade motora) são chamados a dar resposta, expondo o aparelho locomotor a lesões que podem acontecer quando menos se espera.
Sobrecarga, rupturas musculares, entorses e tendinites são as lesões mais comuns entre os atletas. Ao menor alarme, a intervenção de um fisioterapeuta pode ajudar a reduzir as consequências de uma lesão.
Quando ocorre uma lesão, os atletas devem saber que “na fase aguda deve-se aplicar gelo porque quase sempre estamos perante uma inflamação, mas que na fase crónica a opção é o quente”, explica o fisioterapeuta do Departamento de Reabilitação da Clínica Universidade de Navarra.
Todas as lesões devem ser tratadas com rapidez e corretamente por parte dos profissionais qualidades. A técnica que aplicam dependerá dos sinais que apresenta a lesão, explica a fisioterapeuta.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...