sábado, 19 de dezembro de 2015

Superação, Determinação, Conquista …

Superação, Determinação, Conquista …
A superação de limites atrelada a determinação pessoal em busca da conquista é algo que sempre nós inspira, vemos vídeos, fotos e relatos maravilhosos de pessoas especiais que não se deixam abater por conta de problemas ou limitações físicas e mentais.
You can!
Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.

Viver! Vamos correr!


Não existe coisa melhor no mundo do que viver, curtir e gozar a vida, que passa rápido e daqui não levaremos nada, a não ser toda a experiência e as amizades.
Vamos para o mundo viver!

Dica de hoje! El Espiritu de la Maratón

El Espiritu de la Maratón




Un film inspirador que nos muestra con detalle el sufrimiento, la perseverancia y el triunfo personal de un grupo de maratonianos

Este documental premiado en varios festivales a nivel mundial, narra la vida de varias personas (desde amateurs semi sedentarios hasta fondistas profesionales) que deciden encarar el desafío de correr una maratón. Diferentes historias que se entrecruzan, compartiendo el dolor, la disciplina del entrenamiento y el cambio que experimenta el cuerpo y la mente de cada uno de ellos. Complementada con valiosos comentarios de diversos maratonianos de todo el mundo como Paula Radcliffe, Dick Beardsley, Paul Tergat y Katherine Switzer, entre otros, hace también un breve pero significativo recorrido por la historia de la maratón, desde su inicio hasta nuestros días.
Buen film, altamente motivacional, que describe de forma muy clara el reto de la maratón, tanto para los que ya hemos hecho alguna, como para aquellos que están a punto de realizarla.
Director: Jon Dunham
Música: Jeff Beal
Fotografía: Jon Dunham, Sarah Levy
Título en V.O: Spirit of the Marathon I y II
País: Estados Unidos
Año: 1ª parte 2007- 2ª parte 2013


   



domingo, 6 de dezembro de 2015

CORRER CORRETAMENTE: O GESTO TÉCNICO DA CORRIDA



A corrida pode melhorar a autoestima e a autoconfiança (através da melhoria da condição física) e gerar maior tolerância a situações estressantes, através da produção de endorfinas. É uma atividade que diverte e sociabiliza, pode ser praticada em grupo. Fácil de aprender, requer um grau de habilidades motoras básico para ser praticada, pois é um padrão de movimento rudimentar.
A corrida desenvolve resistência aeróbia, ritmo e velocidade. O exercício é cíclico e os movimentos característicos da modalidade são a flexão e extensão de quadril, flexão e extensão de joelho, flexão e extensão de tornozelos, flexão e extensão dos ombros e flexão estática dos cotovelos (90 graus). Há grande solicitação da musculatura respiratória, abdominal e diafragmática, e impacto elevado e repetitivo sobre todas as articulações.
Para uma corrida eficaz, o objetivo será o de conseguir a melhor relação entre a amplitude e a frequência da passada, uma vez que ambas influenciam o rendimento da corrida.
Para cada pessoa será aconselhada uma determinada amplitude de passada, que é  limitada em função da sua estrutura anatômica,  pelo seu nível de força e de flexibilidade.  Maior  amplitude não deverá ser conseguida à custa do apoio à frente demasiado distante, uma vez que esta situação poderá travar o movimento.
Com relação à frequência, importa considerar o tempo de apoio de cada passada, bem como o tempo da fase aérea. Os fatores que limitam estes aspectos são basicamente de ordem nervosa (propagação neuro-muscular) e estrutural.
Com relação à execução e correção do gesto  técnico propriamente dito é importante falar com um Profissional de Educação Física que  deverá considerar o seguinte:
Membros inferiores: Apoio realizado a partir do meio do calcanhar e meio do pé, ligeiramente à frente da projeção do centro de gravidade; ação rápida, de cima para baixo e da frente para atrás, de forma  que o corpo passe tão rápido quanto possível pelo apoio (como um mata borrão).
Evitar : iniciar o apoio a partir das pontas dos pés, iniciar o movimento atrás ou na linha do quadril, tensionar o joelho.
Impulsão: Continuação da ação anterior;  empurrar o chão projetando o corpo para a frente, seguindo-se  a flexão do tornozelo, a extensão do joelho e do quadril.
Evitar : pisar com a planta do pé toda de uma vez ao invés de partir do calcanhar para a ponta ( pé chapado ), evitar acentuar o impulso vertical ao invés do impulso à frente,  evitar passadas muito curtas.
Recuperação: Movimento circular atrás, exige a participação dos músculos posteriores  da coxa flexionando o joelho e levando o pé na direção do glúteo.
Evitar : hiperflexão ou travamento do joelho; desalinhar o joelho, levando o pé para outra direção que não o glúteo ; desalinhar o pé a partir do tornozelo, fazendo rotação interna ou externa da perna em relação à coxa.
Transferência: Movimento circular à frente, flexão do quadril, elevação e avanço do joelho para cima e para a frente.
Evitar : hiperextensão do joelho,  desalinhamento de uma das articulações; quadril, joelho e/ou tornozelo, que devem estar alinhados entre si; não flexão do joelho ao levar a perna à frente.
Membros superiores: Movimentos opostos  aos membros inferiores, fazendo um ângulo de aproximadamente 90 graus entre braço e antebraço; punhos firmes na extensão dos antebraços, sem tensioná-los demasiadamente.
Evitar: travar os cotovelos, fazer um ângulo inferior a 90 graus entre braço e antebraço, não utilizar o movimento dos braços ou deixá-los muito relaxados; punhos relaxados.

Tronco e cabeça: Tronco e cabeça alinhados verticalmente fixos e ombros relaxados.
Evitar : tensionar ombros e trapézio e rotação interna .
É de extrema importância, para uma corrida proveitosa, coordenar movimentos e postura corretos para ajudar a evitar lesões futuras. Grande parte das lesões é causada por má postura e movimentos incorretos.

Imagem do dia!

Frase do dia!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...