sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Dica de hoje!Como melhorar a velocidade na corrida!


Como melhorar a velocidade na corrida:

Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.

1- Prática e técnica. Sempre enfatizo o quanto é importante concentrar-se na técnica do movimento. Manter os membros superiores descontraídos, mantendo os braços a frente do corpo formando um ângulo de 90 graus pode fazer com que tenha uma corrida adequada.

2- Conte seus passos. A contagem de passos é uma maneira eficaz de melhorar o condicionamento. Isto porque, corredores mais rápidos, costumam ser mais eficientes, tendo uma cadência de cerca de 180 passos por minuto, realizando passos rápidos e curtos. Se não tiver um podômetro, conte, em um minuto, quantas vezes seu pé direito toca no chão e multiplique por dois.

3- Tente um treino intervalado. Para construir a resistência e melhorar seu condicionamento, tente treinos intervalados alternando períodos de alta e baixa intensidade durante o exercício, pois é uma excelente forma de melhorar a resistência, velocidade e queimar calorias. Exemplo: corra 1 minuto em intensidade alta/30 segundos em intensidade baixa durante 45 minutos.

4- Realizar sprints. Eu amo sprints. São tiros intensos ou confortáveis que podem variar de 8 a 12, entre 50 a 200 metros cada, para, principalmente, melhorar técnica de aceleração.

5- Mesmo que correr descalço é um fator controverso, muitos estudos enfatizam o barefoot runing como opção demelhora do movimento natural dos pés. Se não gostar, opte por sapatilhas leves que permitem realizar passos naturais.

6- Trabalhar o CORE. Exercícios com enfoque no CORE, que são os músculos abdominais, permite aos corredores trabalhar com mais potência e velocidade. Com 15 minutos de trabalho para abdomen por 3 vezes por semana e o suficiente para melhorar sua corrida.

7- Foque na respiração. Há várias estratégias de respiração, mas, o mais importante, é aprender a respirar. Se você utilizar uma respiração combinada com nariz e boca (tanto inspiração quanto expiração), consegue aproveitar o máximo de captação de oxigênio pelos músculos. Repare na sua barriga, ela “enchendo” a cada respiração significa que está respirando da forma correta e não pelo peito. Assim, consegue trabalhar ainda mais o CORE.

8- Speed Chute. Eu amo novos “brinquedos” de treinamento. O Speed-chute é como um paraquedas, que coloca nas costas e melhora a resistência da corrida.

9- Adicione pesos ao longo do seu treino de corrida. Os circuitos são ótimas estratégias. Exemplo: você pode correr 5 minutos na esteira rápido, parar e realizar agachamentos com pesos. Além de treinar a corrida, melhora a eficiência e força de membros inferiores.

10- Emagrecer. Você sabia que, por quilo perdido, pesquisas mostram que você pode melhorar sua velocidade reduzindo em 2 segundos o tempo da sua corrida? Mais um ótimo motivo para emagrecer com a corrida.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

FRASES DO ESPORTE!


Resultado de imagem para "Alguma vez você se sentiu pior depois de correr?"

GEORGE SHEEHAN



"Há muitas razões para correr assim como há dias no ano, anos na minha vida. Mas principalmente eu corro porque sou um animal e uma criança, um artista e um santo. Assim como você também é. Encontre a compulsão que te renove e você se tornará aquele que foi feito para ser"

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Dicas de corrida!


Muitos corredores – principalmente os iniciantes – apostam na esteira da academia para praticar o esporte. O equipamento é excelente para atletas de todos os níveis, mas se você quiser começar a participar de provas, é importante que realize também treinos na rua ou em parques. “Há fatores biomecânicos e fisiológicos diferentes da corrida na máquina e no asfalto”.
Na esteira, a cinta da gira para que a pessoa possa correr – diminuindo levemente o esforço. Enquanto isso, na rua ou no parque, o impulso é todo dado pelo corpo – deixando a atividade mais difícil. Além disso, as provas são realizadas na rua – e não no equipamento. Por isso, não há melhor maneira de se preparar do que encarar condições semelhantes.
De acordo com o treinador, qualquer mudança na rotina deve ser feita de maneira leve e confortável, para que haja uma adaptação neuromuscular. “Se a pessoa está acostumada a correr apenas na esteira, deve começar na rua em um ritmo mais leve e confortável”, diz o especialista. Além disso, opte por locais que você já conhece, preferencialmente fechados, como parques e praças, para que seu treino seja mais seguro.
A princípio, inclua uma atividade outdoor na semana. Sábados, domingos ou dias de folga no trabalho são as melhores opções para que você se exercite sem se preocupar com o tempo. “Corra nas horas em que a temperatura é mais amena: antes das 7h ou depois das 19h”, indica Souza.
Um cuidado importante deve ser com a hidratação. “Na academia, por exemplo, há o bebedouro. Na rua e na maioria dos parques, não é comum ter um local para beber água.” O treinador indica que a pessoa se hidrate bastante antes do treino e programe-se para passar em algum lugar que venda água pelo caminho.
Outra diferença grande entre os treinos na esteira e fora dela é quanto à temperatura. “Em lugares fechados, costuma ser controlada por um ar condicionado. Na rua, pode-se pegar frio, calor, chuva, sol…”, lembra. Logo, é fundamental que o corredor se agasalhe se estiver frio – principalmente nas mãos, com luvas, e na cabeça, com uma touca –, utilize roupas impermeáveis em caso de chuva e vista peças confortáveis e de material de fácil evaporação nos dias quentes.
O treinador dá uma dica final: “Procure um profissional de educação física para orientá-lo da melhor maneira possível nos treinamentos”. Desta forma, você conseguirá ter objetivos sempre – e conquistá-los!

Frase do dia!

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Saiba que riscos um atleta corre ao participar de uma maratona!

Maratona de Londres foi realizada no último domingo

O caso de uma britânica que morreu na reta final de uma maratona da qual participava para arrecadar fundos para uma entidade beneficente está comovendo a Grã-Bretanha.
Claire Squires, de 30 anos, do condado de Leicestershire, Inglaterra, desmaiou e faleceu durante a Maratona de Londres, no último domingo.

Ela corria o percurso de 42,1 km para recolher doações para a ONG The Samaritans, que oferece apoio psicológico, por telefone, a pessoas em sofrimento.

Ainda não foram feitos exames para identificar a causa da morte da corredora, mas é sabido que correr uma maratona coloca o organismo sob imensa pressão.

Na matéria a seguir, saiba quais são os principais riscos, para a saúde de um atleta, de correr uma maratona. E como você pode se preparar para evitar surpresas ruins.

Distensões e desidratação

Torções e maus jeitos respondem pela maioria dos incidentes que acontecem em corridas.

Excluídos estes, a desidratação é o maior obstáculo que um atleta tem de enfrentar. Em uma corrida longa, em um dia quente e úmido, até quatro litros de fluidos podem ser perdidos à medida que o corredor sua e expira.

Durante a 2012 London Marathon, 4.923 pessoas precisaram de assistência, mas a maioria dos casos foi de pouca gravidade.

Em 2011, por causa do calor excessivo no dia da corrida, 6 mil pessoas precisaram de auxílio médico.

Mortes são raras. No caso da Maratona de Londres, Claire Squires foi a décima-primeira participante a morrer desde que o evento começou, em 1981. Foi também a primeira vítima mulher.

O diretor médico da London Marathon, Sanjay Sharma, disse que sete das mortes ocorridas até hoje foram associadas a problemas cardíacos como artérias bloqueadas ou problemas congênitos do coração.

"Até agora, essas mortes ocorreram apenas em homens. Todos tinham mais de 40 anos. Dos sete cujas mortes foram associadas a problemas do coração, cinco tinham artérias obstruídas, um sinal de doença arterial coronariana".

"E dois tinham cardiomiopatia hipertrófica - um problema que afeta a estrutura do coração", acrescentou Sharma.

Um outro homem morreu por um acúmulo de água em seu organismo - um distúrbio que os médicos chamam de hiponatremia associada ao esporte - e outros dois morreram de hemorragias no cérebro.

"Ainda estamos esperando pelo exame post mortem na jovem (Squires), mas é provável que a morte dela esteja associada a um problema do coração, eu acho".

"Eu estava lá durante o ataque e fiquei profundamente chocado. Ver uma pessoa com 30 anos que é incrivelmente atlética morrer parece errado".

"Essas mortes são raras".

Estudo

Em um estudo feito nos Estados Unidos, pesquisadores monitoraram cerca de 11 milhões de atletas que participaram de maratonas ou meias maratonas entre 2000 e 2010.

Naquela década, 59 dos corredores tiveram um ataque cardíaco - onde o coração para de funcionar - e 42 deles morreram. Isso quer dizer uma morte para cada 259 mil corredores.

A maioria sofria de algum distúrbio ou doença no coração.

Muitas contusões podem ser evitadas se o atleta faz um bom aquecimento e alongamentos antes de começar a correr. Beba muita água durante a corrida.

Especialistas aconselham corredores a seguir um plano de treinamento nos meses que antecedem a corrida.

Segundo eles, um mês antes da maratona o atleta deve ser capaz de correr 24 km contínuos "confortavelmente". Isso quer dizer que, ao final desse percurso, ele deve sentir que seria capaz de correr um pouco mais.

Uma vez que você começa a treinar, aumente as distâncias gradualmente para evitar exaustão e alterne dias de treinamento intenso com dois dias de treinamento mais leve ou descanso, para que seu corpo possa se recuperar.

Ao seguir um plano de treinamento, você será capaz de ganhar resistência física. Entretanto, se ficar doente ou se machucar durante o treinamento, interrompa o treinamento. Não volte a treinar até que seu corpo tenha se recuperado totalmente.

Se você sofre de alguma doença ou complicação que pode colocá-lo em risco, se você é diabético ou tem doença cardíaca, procure aconselhamento médico.

Notifique os organizadores do evento sobre a sua situação.

A enfermeira Judy O'Sullivan, da fundação britânica para o coração British Heart Foundation deu o seguinte conselho aos que desejam correr uma maratona:

"Eventos como a maratona são um grande desafio físico, então é importante que você treine antes, para ganhar resistência de forma constante e segura. No dia do evento, lembre-se de se aquecer, administre sua energia e descanse se sentir dor ou desconforto.

"Infelizmente, em circunstâncias muito raras, algumas pessoas vão sofrer complicações imprevistas, normalmente ligadas a condições anteriores. Mas para a grande maioria das pessoas, os benefícios que o exercício traz para a saúde são maiores do que os riscos".

"Aconselhamos qualquer pessoa que tenha alguma preocupação a visitar o médico antes de participar".

Correndo e aprendendo!


Estudo com corredores revela que as mulheres sofrem mais com dores nas costas!


Entre os participantes do estudo, as dores lombares estão presentes em mais de 70% dos casos, seguidas das dores cervicais, que atingem 30% dos corredores

Entre os participantes do estudo, as dores lombares estão presentes em mais de 70% dos casos, seguidas das dores cervicais, que atingem 30% dos corredores
Segundo estudo realizado pelo Spine Center do Hospital do Coração com corredores de rua, as mulheres são as que mais sofrem com as dores nas costas. A pesquisa foi realizada com 240 participantes de corridas de rua, sendo 123 mulheres e 117 homens, o estudo revelou que as dores nas costas afetam 49,5% das mulheres contra 39,3% dos homens.
O fisiatra intervencionista Dr. João Amadera afirma que a corrida é um esporte de impacto e se não praticado adequadamente pode agravar os problemas na coluna. Entre os participantes do estudo, as dores lombares estão presentes em mais de 70% dos casos, seguidas das dores cervicais, que atingem 30% dos corredores, independente do sexo.
A idade também influi na dor entre os atletas. Corredores com idade acima de 30 anos e corredoras com mais de 40 anos tem o risco aumentado em quase duas vezes de sofrerem dores crônicas na coluna. O sobrepeso, situação que já atinge quase 50% da população brasileira, mostrou ser um importante fator de risco para as mulheres desenvolverem dores crônicas na coluna. De acordo com Amadera, entre as mulheres que estão acima do peso há um risco 50% maior de desenvolverem o problema, enquanto os homens nessa mesma situação não são afetados.
O estudo também destaca que o risco de desenvolver dores na coluna dobra em ambos os sexos após o primeiro ano de treino regulares. O fisiatra Dr. Daniel Pimentel acredita que isso é um indício que o tempo de prática da modalidade pode ser um fator de risco para a dor na coluna por diversos fatores, como despreparo físico, má postura, falta dos fundamentos adequados ao correr e por não darem tempo suficiente de descanso para a regeneração de microlesões causadas nos treinos.
Homens que correm mais de 20km por semana apresentaram menor risco de ter dor nas costas do que os que treinam abaixo desta quilometragem. Segundo Pimentel, acima dos 20km por semana o físico precisa de maior preparo, sendo um fator de proteção para problemas na coluna. De acordo com o especialista, os riscos de dores nas costas estavam distribuídos independente do número de vezes na semana em que os corredores treinavam. 
Nas corredoras, as que praticavam mais de três vezes na semana, tinham maior risco de apresentar dores na coluna. A média da intensidade da dor, numa escala de 0 a 10, foi de 3,2 em homens e 4,2 em mulheres, sendo considerada de moderada intensidade. Pimentel alerta que esse resultado demonstra que, mesmo sentindo dores, alguns até com dores severas de 9,8 na escala, muitos atletas permanecem forçando suas colunas, o que pode agravar suas lesões.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Dicas de corredor!Correndo no verão!

Dicas de corredor!
Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.
1: REFORCE A HIDRATAÇÃO
Beba bastante água durante todo o dia e, faltando uma hora para treinar, abasteça-se de isotônico. Durante a corrida, não deixe a água de lado e, caso seja um longão, a bebida esportiva também pode ajudar. Depois do treino, os líquidos precisam ser novamente repostos.

Os sinais mais comuns de desidratação são: urina escura, perda de energia, tontura, falta de coordenação, cãibras, dor de cabeça e fadiga. Use a água também para se refrescar, molhando a cabeça, o pescoço e os pulsos.
2: COM QUE ROUPA?
Escolha peças bem leves, confortáveis e de cores claras, para que o corpo transpire tranquilamente e possa se resfriar. Roupas escuras absorvem a luz do sol e o calor, por isso não são recomendadas. Evite tecidos de algodão, que molham com o suor e demoram mais tempo para secar.

Acessórios também podem te ajudar a se proteger ainda mais. Bonés, viseiras e óculos de sol são indicados.
3: TREINO SÓ DE MANHÃ OU À TARDE/NOITE
O calor entre 10h e 16h é muito grande, portanto, escolha correr pela manhã ou após o entardecer. Caso não haja outra opção, procure um parque arborizado ou onde tenha sombra e hidrate-se ainda mais. No começo do dia, há uma vantagem: o asfalto está mais frio, diminuindo o calor.

4: VERIFIQUE O TEMPO
Preste atenção à temperatura e à umidade relativa do ar. Em um dia muito quente e úmido, o sistema de resfriamento do corpo não funciona de forma eficiente, podendo causar até hipertermia (elevação da temperatura corporal).

5: CLIMATIZE-SE
Se você acabou de voltar de um lugar onde as temperaturas estavam mais baixas, acostume-se, aos poucos, com o calor. Treine mais leve e por menos tempo até que seu corpo esteja adaptado ao tempo.

6: VÁ COM CALMA
Não precisa correr para fazer o mesmo tempo de uma prova que completou durante o inverno. O calor exige mais do seu corpo, por isso, diminua o ritmo e, se preciso, caminhe um pouco. Aproveite um dia um pouco mais fresco para aumentar a intensidade das passadas.

7: ALIMENTAÇÃO LEVE
Frutas, verduras e legumes – todos frescos – são boas opções para essa época do ano. Evite alimentos gordurosos, frituras, queijos e embutidos. Ao comprar algum produto industrializado, como uma barra de cereal, verifique se ele não estava exposto ao sol.

8: PELE PROTEGIDA
Protetor solar à prova d’água é indispensável sempre, mas principalmente nessa época. Ele evita queimaduras na pele, além de manter o corpo um pouco mais refrescado.

9: DESCANSE MAIS
Aumente a frequência e duração dos intervalos de descanso e aproveite esse tempo para hidratar-se bem. A temperatura corporal ficará mais baixa também.

10: CANSOU, PAROU
Ao sentir sinais fortes de exaustão, tontura, dores de cabeça ou sintomas relacionados, pare o treino imediatamente, procure uma sombra e beba muita água. Você corre o risco de desmaiar e, em alguns casos, entrar em colapso – quando a temperatura do corpo chega a 42°C.

FRASES DO ESPORTE!

"Não me pergunte por que eu corro.
Pergunte a você mesmo, porque você não corre."

Imagem do dia

Imagem do dia!
Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...