domingo, 28 de fevereiro de 2016

Correndo e aprendendo: Rua X esteira!


Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.



Correndo e aprendendo:
Rua X esteira:

1- A maior diferença é que, na rua, a carga nas articulações

tende a ser maior. Por isso, a escolha dos tênis ideais é
ainda mais importante para quem corre ao ar livre.


2- O “rendimento” do atleta é algo muito subjetivo. Tem
gente que “rende” mais na rua, pois conseguir chegar a
tal ponto em um determinado tempo é estimulante; tem gente
que se apega mais aos “números” da esteira (distância,
calorias, velocidade média), sempre ao alcance dos olhos.

3- O gasto de calorias de quem corre na rua pode ser ligeiramente maior do que o de quem corre na esteira, pois a resistência do ar e o atrito com o solo devem ser considerados.
Obs: Para que você simule essa resistência do vento , definir a inclinação do aparelho em 1% já é uma boa simulação das condições da corrida de rua.

Bons treinos!

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Imagem do dia! Final de semana tem treino!

FRASES DO ESPORTE!

Dicas rápidas para não errar na sua primeira corrida!

Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.
Dicas rápidas para não errar na sua primeira corrida!
Por isso algumas dicas são essenciais para você se sair bem e tomar gosto por esses eventos:
É básico: você tem que ter treinado para a prova. Sem essa de aceitar um convite de última hora sem ter se preparado minimamente.

Tenha noção da velocidade: você vai imprimir uma durante todo o percurso. Saia leve e imagine que a prova será maior do que realmente é, para ir dosando o fôlego e chegar bem ao final. Em uma prova de 10K, por exemplo, muita gente perde o ritmo no quilômetro 6. Procure manter a regularidade para que isso não aconteça.

Temperatura: saiba que se estiver um dia quente, você terá de repensar seu ritmo. Pegue mais leve com o calor.
Coma: alimente-se bem pelo menos uma hora antes da prova. Você vai precisar de energia.

Beba: hidrate-se antes, durante e depois da corrida. Beba água de verdade – e não apenas goles.
Respeite-se: Caso sinta qualquer desconforto, pare e avalie suas condições. Se necessário, acione a equipe médica.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Frase do dia!

Dica cultural ! Correndo e Miami!

Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.














Correr é mais do que um hobby; é um estilo de vida e uma forma de manter seu corpo e sua mente saudáveis. Dê sua corrida usual ou tente enfim superar seus limites enquanto estiver em Greater Miami, cercado de praias, águas cristalinas e beleza natural. Melhore sua saúde em geral e mantenha a boa forma enquanto aproveita o ar fresco nas trilhas e pistas de corrida de Miami.
ROTAS DE CORRIDA DE CURTA DISTÂNCIA
Em Miami, não precisamos lutar contra intempéries e reduzir a época das corridas a apenas alguns meses. Você pode correr o ano todo cercado por uma vegetação exuberante e ar fresco, além de fazer seu exercício enquanto desfruta de bons momentos ao ar livre.
A pista de corrida no Kennedy Park, localizado à beira-mar em Coconut Grove, é uma rota popular por sua localização central e revestimento especial. Se você estiver por South Beach, provavelmente verá corredores em toda a extensão da praia e no calçadão limítrofe à areia, mas há uma pista de corrida mais adequada ao longo da Collins Avenue, entre a 21st Street e a 46th Street, que é imperdível.
No extremo oposto da cidade, viva uma experiência realmente imersiva na natureza e corra pelo Florida Everglades, um parque nacional e ecossistema subtropical singular não muito distante das áreas mais urbanas de Miami.
Toda praia em Miami é simplesmente uma via pronta para corrida. Correr na areia demanda mais energia do que em uma pista pavimentada, além de forçar coxas, nádegas e outros músculos a trabalharem mais e entrar em forma muito mais rápido.
ROTAS DE CORRIDA DE LONGA DISTÂNCIA
Se você for um corredor de maratonas e meros 50 km não o assustarem, você vai adorar Miami. A Lifetime Miami Marathon e a Meia Maratona atraem 25.000 pessoas que percorrem o belo cenário de Miami a pé. Quer você esteja participando ou não de uma maratona organizada, poderá pegar uma dica com os especialistas e seguir seus passos por conta própria. É uma ótima maneira de ver toda a cidade de uma só vez.
Os participantes começam no estádio American Airlines Arena, sede do Miami Heat, em Downtown Miami, e correm pela MacArthur Causeway em direção a Miami Beach, passando por uma ponte com belas casas, navios de cruzeiro, palmeiras e uma brisa marinha no caminho. Uma vez em Miami Beach, você seguirá o perímetro da ilha e percorrerá toda a Alton Road, contornando o extremo sul até a famosa Ocean Drive. Vire na direção oposta e atravesse a Venetian Causeway. Essa faixa que liga Downtown Miami ao centro de Miami Beach é uma via mais plana do que a MacArthur Causeway; há pequenas ilhas ao longo do caminho com grande variedade de casas para se admirar, desde antigas construções históricas ao estilo déco até novas e modernas mansões. De volta ao continente, você vai ter um passeio de alguns dos bairros de Miami e os centros econômicos, incluindo Downtown, Coconut Grove e Brickell como você permanecer ao longo da borda da água.
OS CORREDORES DE MIAMI REVELAM SEUS PERCURSOS
Quer saber qual o percurso dos corredores de Miami em seu treino de rotina? Como dizem por aí, “existe um aplicativo para isso”. Os corredores assíduos usam o Mapmyrun, um aplicativo para medir a extensão da corrida e criar um percurso que você possa reutilizar posteriormente ou dividir com os amigos. O site do Mapmyrun tem milhares de percursos compartilhados. Se você quer explorar seu bairro a pé, siga algumas dicas de quem corre regularmente e percorra a área próxima do seu hotel.
CORRIDAS DIVERTIDAS
Conforme as maratonas ganham mais popularidade a cada ano, a cultura da corrida tem mudado e se adaptado. Em Miami, uma verdadeira comunidade se formou em torno dessa atividade em geral solitária. Se você ainda não está preparado para correr uma maratona completa ou uma meia maratona, há eventos um pouco mais informais e muito mais divertidos que poderão lhe interessar.
Um desses eventos é a “Glow Run” ao longo da praia, uma corrida curta de 5km em que os participantes usam adesivos fosforescentes, fitas de tecidos que brilham no escuro, tutus de neon e outros acessórios de cores chamativas, e correm por Miami Beach. Outra atividade divertida é a Color Run, uma “corrida única com tinta” onde os participantes correm de branco e os torcedores jogam tinta das maias variadas cores pelo caminho; ao final da corrida, todos viram uma obra de arte ambulante. Para algo realmente assustador, experimente a Zombie Run.
Em geral, programada para ocorrer dias antes do Halloween, a Zombie Run é realizada no parque histórico de Virginia Key Beach. A Zombie Run é uma elaborada corrida de sobreviventes do apocalipse em que zumbis famintos por cérebros humanos perseguem os corredores. Parece divertido? E é mesmo. Essas corridas são uma excelente atividade para toda a família e uma forma diferente e inesquecível de preencher seu tempo nas férias.

Venha correr com a gente!

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Entendendo sobre corrida! O que é economia de energia na corrida!


Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.
Gastar o mínimo de energia para correr é fundamental para o desempenho. Mas como fazer para melhorar?
Quando nosso tempo melhora numa prova, quer dizer que corremos mais rápido, e por consequência que gastamos mais energia, correto? Quando se fala em melhorar o desempenho em corrida, o primeiro pensamento geralmente é o de ser capaz de gastar mais energia ao longo de uma prova, como no exemplo acima, e este acaba se tornando o principal foco do treinamento.

Almeja-se a melhora através de um aumento na capacidade máxima do organismo, seja na força e resistência dos músculos ou na capacidade do coração. Porém, existe outro caminho, que é o de tentar utilizar cada vez menos energia para correr em uma mesma velocidade, o que, por tabela, nos permite correr a uma velocidade mais alta, utilizando a mesma quantidade de energia.
A equação básica relacionando capacidade energética e performance diz que a velocidade de prova de um corredor equivale ao seu consumo máximo de oxigênio (VO2max) vezes o percentual deste que ele consegue manter ao longo da prova vezes a economia de corrida do atleta, que transforma o consumo de oxigênio em velocidade de corrida.
Parece complicado, mas é um conceito simples. A capacidade aeróbica máxima, ou o VO2max, nada mais é do que a maior taxa com que o organismo consegue utilizar o oxigênio para produzir energia. O segundo elemento da equação é o percentual deste VO2max (%VO2max) que o atleta consegue manter durante sua prova, uma simples porcentagem. 
Naturalmente que em provas mais curtas se consegue um percentual maior, que diminui conforme a distância aumenta.

Assim, o VO2max e o %VO2max podem ser utilizados para quantificar a potência ou capacidade máxima e a resistência ou endurance de um corredor, respectivamente.
O terceiro fator da equação, a economia de corrida, introduz o conceito de eficiência. Quer dizer, uma vez estabelecidos os dois primeiros fatores, a eficiência com que um corredor conseguir transformar a energia gasta em velocidade de corrida será a sua economia. Veja no quadro um exemplo de como dois corredores podem diferir nestes três fatores e como isto influencia na performance.
Publicidade

EDUCATIVOS. A economia de movimento, apesar de importantíssima para a performance, é um parâmetro muito menos explorado no treinamento. Em verdade, não se sabe exatamente como trabalhá-la da melhor maneira, apesar de existirem várias receitas mais ou menos testadas para tal. 
Os famosos exercícios educativos de corrida, por exemplo, em boa parte tentam trabalhar a técnica de corrida, tornando os movimentos mais eficientes, e em contrapartida diminuindo o gasto energético com a corrida. No entanto, não existem provas consistentes, além da lógica de argumentação, de que tais exercícios realmente funcionem para este fim.

Um pouco melhor conhecidos do que os efeitos dos exercícios técnicos são os efeitos de atividades como alongamento e pliometria ou musculação. É razoavelmente bem aceito que séries de exercícios que trabalhem a força máxima ou movimentos explosivos (pliometria) auxiliam a melhorar a economia de movimento.
Exercícios que trabalham a força máxima trabalham nossa capacidade de sincronizar os diferentes músculos da melhor maneira possível, eliminando contrações desnecessárias e diminuindo assim o custo energético da produção de força. Os exercícios com movimentos explosivos, por outro lado, trabalham também a maneira como nosso corpo reage ao tocar no solo a cada passada, além da coordenação muscular.
FLEXIBILIDADE. Ainda no âmbito de exercícios musculares, nos últimos anos alguns estudos demonstraram que corredores menos flexíveis, em uma bateria de testes, apresentam maior economia de corrida. Uma possível explicação para este achado é que articulações mais rígidas são mais eficientes na transmissão de força e necessitam de menos esforço muscular para manter sua estabilidade.
Assim, teve início uma campanha anti-alongamento, pois este serviria apenas para atrapalhar a performance, além de ser ineficaz em prevenir lesões. A grande falha desta lógica (e aqui não vamos entrar no tópico das lesões) é que estudos intervencionais, que alteraram a flexibilidade de corredores através de programas de alongamento para verificar mudanças na economia de movimento, em sua grande maioria não detectaram quaisquer efeitos negativos do alongamento sobre a performance. 
Além disso, quando se fala em treinamento de flexibilidade, se fala em uma sessão inteira de exercícios, e não aqueles poucos segundos que a maioria dos corredores passa alongando a panturrilha em um degrau, antes de sair para o treino...

CUSTO ENERGÉTICO. Todas as intervenções mencionadas até aqui - musculação, saltos, alongamento - baseiam-se no conceito de diminuir a quantidade de contração muscular necessária para gerar uma determinada força. Outra possibilidade de melhorar a economia de movimento é diminuir o custo energético da contração muscular em nível bioquímico. 
Recentemente foi descoberto que dietas ricas em nitrato (no meio esportivo ganhou fama o suco de beterraba) podem aumentar a eficiência de movimento, diminuindo o custo da contração muscular, com estudos demonstrando efeitos positivos na economia de corrida após períodos de suplementação de 3-6 dias.

Contudo, é importante destacar que apesar da suplementação claramente aumentar os níveis sanguíneos de nitrato, os efeitos práticos sobre o rentimento não são tão claros. Pesando os prós e contras, não parece haver motivos para não adicionar alimentos ricos em nitrato à dieta na semana que antecede uma prova, por exemplo.
A economia de corrida é um fator decisivo para a performance de corredores sérios. Apesar de ser difícil de medir (é necessário que se realizem testes de laboratório medindo o consumo de oxigênio), talvez a melhor recomendação seja que o corredor simplesmente não ignore os fatores que a influenciam em sua rotina de treinos.
Por exemplo, a musculação e os exercícios de salto podem ajudar, e com certeza não atrapalham se realizados da forma certa. Da mesma forma, selecionar o cardápio com um pouco mais de cuidado durante a semana anterior à prova também pode ajudar. Por último, não use a "perda de economia" como desculpa para matar os três segundos alongando a panturrilha em um degrau.

Épico!

Sedentarismo afeta quase metade da população brasileira!


Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.

Alerta da Sociedade Brasileira de Hipertensão:

A Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH) manifesta a sua preocupação com os últimos dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o sedentarismo no Brasil. A pesquisa revela que 46% dos adultos – um total de 67,2 milhões – são sedentários.
A prática de caminhada e corrida está entre os exercícios básicos que ajudam a manter a saúde do corpo e a eliminar gordura. A escolha dos exercícios está na preparação de cada pessoa, e também na adaptação que possuem.
Uma boa dica é escolher um exercício que goste e traga bem estar, assim, realizar a atividade física não é encarada como uma tarefa e sim como algo prazeroso.
Aprenda a cuidar melhor da sua saúde - curso online de nutrição - conheça aqui e comece já! Contra a recessão, invista na sua educação.
A corrida ou caminhada, quando praticada diariamente, no mínimo por 30 minutos já ajudam na prevenção de doenças cardiovasculares.
Confira dicas para fazer esse tipo de atividade com conforto e segurança.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Superação!

NÃO IMPORTA O ESPORTE , E VOCÊ AI PARADO!


DICA DE CORREDOR!

Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.







-ACORDE CEDO
-CORRA 
-SEJA FELIZ

Dica do dia!Como treinar no feriado:



Foto de Consultoria Esportiva Taubaté.



Pense pelo lado bom. Num dia comum de trabalho você precisa organizar toda a sua agenda para estar na academia num horário apertado e que pode não ser do seu agrado. No feriado você tem a liberdade de se exercitar a hora que quiser e até escolher dois horários do dia para fazer isso.

Outra questão é que, em feriados, é comum que você coma um pouco a mais que o normal. Passar o dia todo dentro de casa ou sair com os amigos lhe dá mais liberdade para comer várias vezes ao dia. Então, porque não aproveitar o tempo fora da academia para se dedicar a um trabalho aeróbico?

Outro ponto positivo é que muitas pessoas acabam viajando, indo para o litoral. Isso permite que você escolha lugares belíssimos e próximos da natureza para praticar os exercícios. Correr na areia da praia ou fazer trilhas no meio da mata são excelentes opções.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...